Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

STF revoga prisão domiciliar de Andrea Neves

Decisão também beneficia primo do senador e ex-assessor parlamentar; os três são acusados de corrupção passiva a partir das delações do grupo J&;F

Por Guilherme Venaglia Atualizado em 7 dez 2017, 13h04 - Publicado em 7 dez 2017, 10h32

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta quinta-feira revogar as prisões domiciliares de Andrea Neves, irmã do senador Aécio Neves (PSDB-MG), de Frederico Pacheco de Medeiros e de Mendherson Souza Lima, ex-assessor do senador Zezé Perrella (PMDB-MG). Os três estavam sob medidas cautelares desde maio, quando vieram a público as delações premiadas do grupo J&F.

Para justificar a decisão, que também livra os três de utilizarem tornozeleira eletrônica e permite que os investigados conversem entre si, Marco Aurélio alega a longa duração das medidas, que ganharam “contornos de prisão mitigada” e ressalta que já foi oferecida denúncia contra eles pela Procuradoria-Geral da República (PGR). Portanto, já estaria concluída a fase de investigação.

As únicas exigências do ministro é que os investigados adotem “a postura que se aguarda do homem médio, integrado à sociedade”, informem endereços de residência, eventuais transferências e atendam aos chamamentos judiciais.

Andrea Neves, Frederico, primo de Aécio, e Mendherson são acusados pelo Ministério Público de corrupção passiva, com base nas declarações e gravações entregues pelo empresário Joesley Batista, além da ação controlada realizada pela Polícia Federal. Joesley se gravou em conversas com Andrea e Aécio Neves em que combina o pagamento de 2 milhões de reais – segundo ele, valores de propina; de acordo com o tucano e sua irmã, um empréstimo para custear a defesa do senador na Operação Lava Jato.

Essa denúncia ainda não foi analisada pela Primeira Turma do Supremo, o que não tem prazo para ocorrer. Apesar de Andrea, Frederico e Mendherson não terem foro privilegiado, o caso tramita no STF por ter Aécio Neves entre os acusados. Se a primeira turma decidir aceitar a acusação, Aécio vai se tornar réu.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)