Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

PF indicia Eike Batista, Cabral e mais 10 pessoas

O ex-bilionário e o ex-governador do Rio estão presos no complexo de Gericinó, na Zona Oeste da capital; Eike presta depoimento nesta quarta-feira

Por Da redação Atualizado em 8 fev 2017, 13h13 - Publicado em 8 fev 2017, 12h40

O empresário Eike Batista foi indiciado pela Polícia Federal (PF) pelo crime de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e pertencimento a organização criminosa. Ele está preso desde o dia 30 de janeiro em decorrência da Operação Eficiência, desdobramento da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro.

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB) também foi indiciado pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e pertencimento a organização criminosa. Cabral já havia sido indiciado em dezembro em inquérito da Operação Calicute. Ambos estão presos no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio.

  • Outras dez pessoas também foram indiciadas, entre elas o irmão do ex-governador, Maurício Cabral, por lavagem de dinheiro e pertencimento a organização criminosa, e a ex-mulher, Susana Neves Cabral, apenas por lavagem de dinheiro.

    Eike chegou às 9h20 desta quarta-feira à Superintendência da Polícia Federal no Rio para prestar depoimento. Ele é suspeito de ter pago 16,5 milhões de dólares em propina para ter benefícios em seus negócios.

    Os demais indiciados são:

    Wilson Carlos Carvalho, ex-assessor de Cabral

    Carlos Emanuel Miranda, emissário encarregado de recolher propina de Cabral

    Continua após a publicidade

    Luiz Carlos Bezerra, ex-assessor de Cabral; Sérgio de Castro Oliveira

    Álvaro Novis, doleiro

    Thiago de Aragão Pereira e Silva, advogado

    Francisco de Assis Neto, o Kiko, operador de propina

    Flavio Godinho, vice-presidente do Flamengo e ex-braço direito de Eike Batista

    Sérgio de Castro Oliveira, suspeito de ser operador de propina

    (Com Estadão Conteúdo)

    Continua após a publicidade
    Publicidade