Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

O paradeiro dos foragidos da Justiça no inquérito das milícias digitais

Influenciador gospel Salomão Vieira ainda está na América Latina, Oswaldo Eustáquio mudou-se para a Europa e Allan dos Santos segue há dois anos nos EUA

Por Ricardo Chapola
11 nov 2023, 21h11

O Supremo Tribunal Federal (STF) investiga há dois anos as ações de uma suposta milícia digital organizada que atuaria com objetivo de minar instituições democráticas. Esse grupo seria composto por aliados do ex-presidente Jair Bolsonaro. O inquérito, sob relatoria do ministro Alexandre de Moraes, é sigiloso e pouco se sabe sobre o que efetivamente foi descoberto até agora. Alguns dos acusados já foram identificados e tiveram prisão preventiva decretada. Outros decidiram fugir do Brasil e viver na clandestinidade, como o caso do influenciador gospel Salomão Vieira, e os blogueiros conservadores Oswaldo Eustáquio e Allan dos Santos – todos incluídos na lista de difusão vermelha da Interpol.

Considerado um dos organizadores dos acampamentos montados em frente aos quartéis generais do Exército, Salomão Vieira deixou o Brasil no início do ano, rumo ao Paraguai junto com outros procurados pela polícia. Nesse período, chegou a revelar ao grupo uma série de pessoas famosas que colaboraram com a manutenção dos acampamentos, como o pentacampeão Rivaldo e Rafaella Santos, irmã de Neymar. No mês passado, a polícia prendeu três deles no Paraguai. O cantor gospel escapou e não foi mais visto.

Eustáquio, que também estava escondido no Paraguai, continua foragido. Assim como Vieira, o blogueiro também é alvo de um mandado de prisão. Ele migrou para a Europa e, segundo informações levantadas pela PF, estaria revezando sua rotina entre a Espanha e a Inglaterra.

Desde que passou a ser procurado pela Interpol, Eustáquio sofreu revezes na vida pessoal. “Minha mulher pediu o divórcio. Estou todo f*”, contou. Assim como fez no Paraguai, ele tem conseguido sobreviver com ajuda de doações. O blogueiro fica hospedado em albergues cuja diária não passa de oito euros. Ele também relatou ter voltado a caminhar sem a cadeira de rodas que usava desde que deixou a cadeia em uma das três vezes que foi preso por ordem de Moraes.

Continua após a publicidade

Outro investigado e foragido há mais de dois anos é Allan dos Santos. O jornalista, dono de um canal na internet chamado Terça-Livre, era um dos principais porta-vozes do radicalismo e ponta de lança das milícias que atacavam instituições brasileiras. O blogueiro pede doações nas redes sociais para conseguir sobreviver nos Estados Unidos.

No mês passado, ele reencontrou-se com a família. Atualmente também tem dedicado tempo a uma nova empreitada: a Academia Conservadora, uma espécie de escola voltado ao público de direita. “Entendemos o conservadorismo não como mero posicionamento político, mas como a valorização e defesa dos princípios morais e das conquistas culturais da humanidade que foram moldadas na busca incessante pela verdade e pelo rigor investigativo”, diz o texto de apresentação da academia. Para acessar o conteúdo, é preciso fazer assinaturas que variam de US$ 10 a US$ 250.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.