Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

‘O eleitor do Bolsonaro é meu’, diz Ciro Gomes

Ex-governador acredita representar anseios dos simpatizantes do deputado por 'seriedade' e 'autoridade' e diz considerá-lo 'mais honesto’ que tucanos

Por Da Redação Atualizado em 23 out 2017, 16h07 - Publicado em 23 out 2017, 10h36

Para o ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT), os “bolsominions”, simpatizantes do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), podem migrar para a sua pré-candidatura à Presidência da República. “O eleitor do Bolsonaro é meu. Eles não perceberam, mas eles estão procurando seriedade, autoridade. Eu sou isso, de verdade”. A fala de Ciro ocorreu durante uma entrevista para o programa Canal Livre, da TV Bandeirantes, na noite deste domingo.

O pré-candidato do PDT atacou nomes fortes do PSDB, como o senador e presidente licenciado do partido, Aécio Neves (MG), e o prefeito de São Paulo, João Doria. Ciro Gomes disse que apesar de não concordar “com absolutamente nada do que o Bolsonaro fala, diz ou representa”, considera o deputado federal é “mais íntegro do qualquer tucano nesse momento”.

Ao falar sobre Aécio, as críticas dele resvalaram até no senador Tasso Jereissati (CE), que também estaria no grupo dos menos íntegros que o parlamentar. “Inclusive o Tasso, meu velho, estimado e respeitado amigo. Porque não é possível o PSDB… o Tasso fazer um encaminhamento para a impunidade do Aécio voltar ao Senado. O Aécio pode ser um representante de Minas Gerais, um senador da República Brasileira, mas não é digno”, afirmou.

Em um conselho aos rivais, o ex-governador avaliou que o nome tucano mais forte para a Presidência é o do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Sobre o assunto, aproveita para alfinetar Doria, de quem é desafeto: “todo mundo sabe que se o PSDB quiser ter alguma chance, nas declinantes chances pelo contínuo cometimento de erros, o homem mais viável é o Alckmin, que é governador de São Paulo, que tem experiência, tem vivência”. Ele emenda dizendo que foi Alckmin “quem inventou este farsante, prefeito de São Paulo. ‘Prefake’ de são Paulo. Prefeito falso. É farsante, pura e simplesmente”, em referência à Doria.

‘Testosterona’

Conhecido por algumas de suas frases fortes, Ciro Gomes se viu em meio à uma polêmica por ter tido que o momento político “é de testosterona“, frase interpretada como uma recomendação negativa contra a possível candidatura da ex-senadora Marina Silva (Rede) no ano que vem. Ele se defendeu e disse que foi vítima de uma “pura mentira”, porque a sua intenção teria sido, alega, dizer exatamente o contrário, avaliando de forma crítica tal cenário.

Continua após a publicidade

“Tenho afeto e respeito pela Marina”, afirmou. Ciro emendou argumentando que entendeu o problema de dizer expressões como essas que é, “mesmo não sendo machista”, segundo sua autoavaliação, acabar reproduzindo a estrutura discursiva do machismo.

‘Nova geração’

Instado a comentar alguns de seus conselheiros, sobretudo para a área econômica, o ex-governador fugiu de medalhões e disse estar ouvindo “uma nova geração de economistas” para formular suas propostas para 2018. Como exemplo, citou o secretário da Fazenda do Ceará, o economista Carlos Mauro Benevides Filho.

Carlos Mauro é filho do ex-senador Mauro Benevides (PMDB-CE), formado pela Universidade de Brasília, doutor pela Universidade Vanderbilt, nos Estados Unidos, e professor da Universidade Federal do Ceará. A gestão cearense em que o economista atua é comandada pelo governador Camilo Santana (PT), eleito com o apoio de Ciro e do irmão dele, o também ex-governador Cid Gomes (PDT).

O pré-candidato do PDT fez críticas à política cambial, ao “rentismo”, à administração da dívida pública e à forma como o governo do presidente Michel Temer (PMDB) desenhou a reforma da Previdência. Ciro Gomes sugeriu uma “grave reforma fiscal” envolvendo o aumento da carga tributária sobre os mais ricos, dos impostos sobre a herança e o fim dos privilégios para aposentadorias do setor público.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)