Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

José Dirceu é condenado a onze anos e três meses na Lava Jato

Em maio de 2016, o ex-ministro da Casa Civil do governo Lula já havia sido condenado a 23 anos e 3 meses de prisão

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, foi condenado mais uma vez no âmbito da Operação Lava Jato pelo juiz Sergio Moro, desta vez a onze anos e três meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Segundo a sentença, Dirceu recebeu propinas no valor de 2,1 milhões de reais para favorecer um contrato da empresa Apolo Tubulars com a Petrobras para fornecimento de tubos entre 2008 e 2012. 

Em maio de 2016, o ex-ministro do governo de Luiz Inácio Lula da Silva já havia sido condenado a 23 anos e três meses pelos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e organização criminosa por participação em esquema de contratos superfaturados da construtora Engevix com a Petrobras. Na sentença, Moro apontou que Dirceu havia recebido 15 milhões de reais em propinas pagas à empresa do petista, a JD Consultoria. Dirceu foi preso em agosto de 2015 durante a 17ª fase da Lava Jato, batizada da Pixuleco. Moro reduziu a pena em seis meses pelo fato de Dirceu ter mais de 70 anos (atingiu a idade em março de 2016).

Segundo os procuradores, o valor total de propinas ultrapassou 7 milhões de reais. O ex-diretor de serviços da Petrobras Renato Duque, condenado por corrupção passiva no mesmo processo, viabilizou a contratação da Apolo Tubulars para “fornecimento de tubos com valor inicial de R$ 255.798.376,40, que foi maximizado para o valor de R$ 450.460.940,84”. Segundo a sentença, os valores de propina já estavam incluídos no total do contrato.

Além de Dirceu e Duque, foram condenados o irmão do ex-ministro, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva (seis anos e oito meses de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro), e os empresários Eduardo Aparecido de Meira e Flávio Henrique de Oliveira Macedo, da Credencial Construtora – que teria sido usada para viabilizar o pagamento da propina -, por lavagem de dinheiro e associação criminosa. Já os executivos da Apolo Tubulars Paulo Cesar Peixoto de Castro Palhares e Carlos Eduardo de Sá Baptista foram absolvidos por falta de provas.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Reinaldo Alves Corrêa

    Vá pra casa Zé , faça delação e ferre todos os corruptos . Enquanto vc está comendo uma quentinha seus ” companheros ” estão numa boa comendo camarão tomando um bom vinho e dando risada dos trouxas que estão na cadeia … Faça delação Zé e conte tudo sem esconder nada você vai para casa eque se dane Lula , Dilma , vc vai ficar uns 30 anos aí para defender essa gente ! Puxe o carro Zé vai ficar com sua filha na sua casa na politica vc já era é carta fora do baralho , delate que o Brasil agradece !

    Curtir

  2. Se as leis fossem severas neste país, como em tantos outros países mais desenvolvidos, pensariam duas vezes antes de partirem para os ilícitos.Agora, eles guardam fortunas em outros países, e o Brasil que se lixe, que morram os cidadãos, são só massa de manobra. Eles dizem, nós temos as leis que fizemos, a PGR e STF, e portanto, me livro logo e vou para a galera gozar a vida.

    Curtir

  3. Dirceu, vc foi o otario do Lula. Nao o entregou, um verdadeiro heroi para Lula, que esta se lixando com seu sofrimento. Entregue o bandido e tenha uma vida melhor com uma prisao domiciliar.

    Curtir

  4. Além de apodrecer na cadeia a justiça tem que tomar até o último centavo que esse pilantra roubou.

    Curtir

  5. PAUNOMOLUSCO

    Isso!! Criminoso desgraçado, apodreça na cadeia!!

    Curtir

  6. Ibrahim Shehata

    Bandido de carteirinha desede os tempos de antiganmente, fez até plástica e tudo para fugir das autoridades Brasileiras…….A justiça tarda, mas não falha. Bandido nunca perde suas qualidades, é bandido para sempre…….Viva Moro…..

    Curtir