Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Entre rosas e panelas, Haddad vota em SP e diz que há ‘risco’ à democracia

Candidato do PT afirmou estar confiante na vitória, após crescimento nas pesquisas Ibope e Datafolha deste sábado 27

Por Guilherme Venaglia Atualizado em 28 out 2018, 11h59 - Publicado em 28 out 2018, 10h58

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, votou na manhã deste domingo 28 acompanhado da esposa, Ana Estela Haddad, em uma escola no bairro de Moema, na zona sul de São Paulo. Ele foi recepcionado por um grupo de manifestantes a seu favor, que o aguardavam com rosas e livros, em um sinal, segundo deles, de defesa “do amor e do professor”. No prédio em frente, assim como no primeiro turno, moradores batiam panelas contra o ex-prefeito.

Após o voto, Haddad afirmou que está confiante na vitória, em virtude da alta nas últimas pesquisas, O ex-prefeito de São Paulo voltou a pedir votos em favor da democracia e das liberdades individuais, que estariam ameaçadas pelo seu adversário, Jair Bolsonaro (PSL).

“Sinto nas ruas de todo o Brasil muita militância, muitas pessoas comuns indo defender o Brasil e a democracia. Estamos com uma forte tendência de alta nas pesquisas do último dia e eu estou muito esperançoso de que nós vamos ter um grande resultado hoje à noite”, disse, completando que “o país está em uma encruzilhada e o projeto de nação que nós representamos ganhou as ruas na última semana. A nação está em risco, a democracia está em risco e as liberdades individuais estão em risco”.

Mais cedo, após um café da manhã com apoiadores, o candidato do PT prometeu lutar “até o último minuto” e agradeceu o apoio de personalidades que aderiram a sua candidatura nesta reta final, algumas tradicionalmente opostas ao partido, como o ex-presidente do STF Joaquim Barbosa. “Festejo os apoios de quem que se manifestou nos últimos dias. Fiquei muito feliz com isso, mas não só das personalidades, mas do cidadão comum, que foi às ruas defender a liberdade. Agradeço muito o apoio dos últimos dias, são mostras de honradez, defendendo o Brasil e a democracia.”

  • O voto do candidato foi acompanhado com tensão. Em meio às festividades do protesto, alguns militantes pró-Bolsonaro chegaram a se aproximar e houve um princípio de conflito, rapidamente controlado pela Polícia Militar. Os apoiadores do capitão da reserva deixaram o local na sequência. Na saída, três eleitores da escola gritaram palavras como “corrupto” e “mensalão”. Em resposta, os apoiadores de Haddad ecoaram o canto “fascistas não passarão”.

    Segundo as últimas pesquisas, dos institutos Datafolha e Ibope, Fernando Haddad tem entre 45% e 46% das intenções de voto, contra 54% e 55% de Bolsonaro. Ambos os levantamentos possuem margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, índice de confiança de 95% e foram registrados na Justiça Eleitoral sob as identificações BR-02460/2018 e BR-02934/2018.

    Continua após a publicidade
    Publicidade