Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Edmilson Rodrigues, do PSOL, é eleito prefeito de Belém

Apoiado por uma frente de partidos de esquerda, candidato derrotou no segundo turno o Delegado Federal Eguchi, que tinha a simpatia do presidente Bolsonaro

Por Redação Atualizado em 29 nov 2020, 17h57 - Publicado em 29 nov 2020, 17h45

O candidato do PSOL à prefeitura de Belém, Edmilson Rodrigues, foi eleito no segundo turno da eleição disputada neste domingo, 29. Com 98,56% das urnas apuradas, Rodrigues obteve 51,76% dos votos, contra 48,24% do Delegado Federal Eguchi (Patriota).

Rodrigues, que foi prefeito de Belém por dois mandatos (1997 – 2004), formou uma frente de partidos de esquerda para conseguiu retornar ao cargo. Apoiaram a eleição do candidato do PSOL os partidos PT, Rede, PCdoB, PDT e UP. Já Eguchi contava com o suporte do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para disputar o segundo turno.

Ele é o segundo prefeito de capital que o PSOL elege em sua história. O primeiro foi Clécio Luis, que conquistou a prefeitura de Macapá em 2012, mas deixou o partido por divergências com a direção nacional da sigla. Clécio está sem partido atualmente.

Rodrigues exercia o mandato de deputado federal desde 2014. Ele foi filiado ao PT durante os dois mantados que governou Belém e trocou o partido pelo PSOL em 2005. No primeiro turno, Rodrigues obteve 32,22% dos votos, contra 23,06% de Eguchi.

A ida de Eguchi para o segundo turno foi uma surpresa. O favorito para disputar o cargo com Rodrigues era o deputado federal José Priante (MDB), que é primo do senador Jader Barbalho (MDB) e contava com o apoio do governador Helder Barbalho (MDB). Ele obteve apenas 17,03% dos votos.

Em seu Twitter, Rodrigues comemorou o resultado com uma expressão popularizada pelo jogador de futebol Neymar. Ele escreveu que “o prefeito tá on”.

Continua após a publicidade
Publicidade