Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Como chanceler, Araújo será chefe da própria esposa

Maria Eduarda de Seixas Corrêa é diplomata concursada desde 1991

O chanceler Ernesto Araújo inaugurou sua gestão no Ministério das Relações Exteriores com matizes inéditas. Não só alertou, nos últimos dias, que “libertará o Itamaraty” do “marxismo” e que “Deus está de volta ao Brasil”, valendo-se de grego, latim e tupi-guarani, como também será o primeiro chanceler brasileiro a ser chefe da própria esposa.

Araújo é casado com Maria Eduarda de Seixas Corrêa, também diplomata desde 1991. Maria Eduarda não usa o sobrenome do marido na carreira. Em dezembro de 2018, foi nomeada chefe da Divisão de Treinamento e Aperfeiçoamento, espécie de RH do Itamaraty, vinculado à subsecretaria-geral do Serviço Exterior.

Em sua ficha interna, não há menção ao vínculo com o novo chanceler, o que diplomatas dizem ser comum. Maria Eduarda também é filha do diplomata Luiz Felipe de Seixas Corrêa, servidor de carreira do órgão, que foi ministro interino das Relações Exteriores no governo de Fernando Henrique Cardoso.