Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Chuva pode transferir vigília para Copacabana

Terreno em Guaratiba está repleto de lama e acesso é prejudicado pelo mau tempo. Francisco ensinou ao prefeito do Rio uma "uma simpatia para Santa Clara"

A chuva incessante no Rio de Janeiro e a situação do terreno em Guaratiba levam a prefeitura a avaliar a transferência da vigília comandada pelo papa e a missa de encerramento da Jornada Mundial da Juventude para Copacabana. Desde o início da semana, o terreno recém-preparado, com muito barro e terra fofa, transforma-se progressivamente em um conjunto de pequenos lagos. Logo após a saída do papa do Palácio da Cidade, autoridades ligadas ao planejamento da JMJ se reuniram para reavaliar a situação do local.

Copacabana tem o palco, necessário para as apresentações e a celebração da missa, e capacidade para receber o público que, nas estimativas mais exageradas, considera a presença de 2 milhões de pessoas. O plano não é confirmado oficialmente, pois depende de um anúncio conjunto da prefeitura, dos organizadores e da Igreja Católica. “Não podemos especular nesse momento da respeito de uma mudança no local. Isso não cabe à prefeitura, mas à organização da JMJ, que não nos solicitou nada até agora”. Perguntado se os peregrinos devem levar galochas à Guaratiba, Paes confirmou com a cabeça e afirmou: “É um local de terra e está chovendo forte. Haverá lama”.

As lições de humildade de Francisco para os franciscanos

Francisco condena legalização das drogas e prega a alegria para reunir o rebanho católico

Em vista ao Palácio da Cidade nesta quinta-feira, o papa Francisco sugeriu ao prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que tentasse uma simpatia pelo fim da chuva que atinge a cidade há dois dias: oferecer doze ovos para Santa Clara e pedir que o tempo melhore. Em tom de brincadeira, Paes afirmou que seguiria a dica do pontífice. Para os peregrinos que passarão a noite de sábado para domingo em vigília no Campus Fidei, em Guaratiba, a ajuda da santa seria bem-vinda: a dois dias do evento, o local encontra-se repleto de lama.

O prefeito afirmou, logo após o encontro com o pontífice, que disse ao papa para não se incomoda com os congestionamentos causados pelos deslocamentos da comitiva. “É natural. A situação deve melhorar a partir de hoje porque é feriado na cidade, mas não poderíamos ter decretado feriado a semana toda”, disse Paes. O prefeito também acredita q ue os problemas que marcaram as passagens de Francisco no início da semana já foram solucionados: “Trata-se do evento mais complexo que já fizemos. É claro que haveria problemas”.

Sobre o evento no Palácio da Cidade, Paes afirmou que o momento de maior emoção foi a bênção a Oscar Schmidt. E disse que optou por entregar uma chave de prata a Francisco – e não a de ouro, como é de costume – por causa do jeito simples do pontífice. Sobre o fato de a chave ter sido elaborada por uma famosa joalheria, o prefeito afirmou que foi um presente. “Tendo sido de graça, não há qualquer afronta à simplicidade do papa”.

Leia também:

Jornada Mundial da Juventude é oficialmente aberta no Rio

Segurança dobra a Igreja: papa desfilará de carro fechado na Tijuca Francisco em Aparecida: “Rezem por mim e até 2017, que vou voltar”

/ppEsta%20quinta-feira%20é%20o%20dia%20da%20Festa%20de%20Acolhida%20da%20Jornada%20Mundial%20da%20Juventude,%20na%20praia%20de%20Copacabana.%20É%20o%20primeiro%20compromisso%20oficial%20de%20Francisco%20no%20evento.%20Antes,%20porém,%20o%20pontífice%20cumpre%20uma%20agenda%20extensa./pphttps://storify.com/vejanoticias/acompanhe-o-4-dia-do-papa-no-rio/embed?border=true