Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Chapa oficial da comissão do impeachment é apresentada com 49 nomes

Nomes são majoritariamente governistas. Todos os nomes das chapas oficial e alternativa terão de passar por votação

O bloco governista na Câmara dos Deputados formalizou nesta terça-feira 49 nomes, de 20 partidos diferentes, para compor a chapa oficial da comissão que dará parecer sobre o pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. A chapa protocolada vai fazer frente a uma versão paralela, capitaneada por oposicionistas, que também tentarão ser eleitos para proferir parecer prévio sobre a possibilidade de deposição de Dilma.

Dos 49 nomes da chapa oficial, pelo menos dois deles – Eduardo Bolsonaro e Pastor Marco Feliciano – podem ser retirados. Isso porque os dois parlamentares do PSC integram tanto a versão oficial quanto a alternativa. Pelas regras que serão anunciadas pelo presidente da Câmara Eduardo Cunha, em caso de nomes duplicados serão válidas as inscrições feitas pelo próprio congressista, como ocorreu na chapa alternativa. Na lista oficial, as indicações de cada deputado foram feitas pelas lideranças partidárias, não havendo, portanto, inscrições feitas diretamente pelos deputados.

A comissão especial do impeachment será formada por 65 integrantes para dar um parecer ao Plenário sobre o processo que pode tirar a presidente Dilma do poder. Todos os nomes das chapas oficial e alternativa terão de passar por votação e haverá pleitos suplementares submetidos a Plenário até que se atinja o patamar de 65 membros. Depois da análise pela comissão, o pedido de impeachment vai à votação nominal e para que a acusação seja admitida e o processo de impedimento da presidente seja aberto, são necessários, em Plenário, 342 votos dos 513 deputados.

Confira a seguir os nomes dos integrantes da chapa:

Antônio Jácome (PMN)

Bacelar (PTN)

Celso Maldaner (PMDB)

Cristiane Brasil (PTB)

Daniel Vilela (PMDB)

Eduardo Bolsonaro (PSC)

Eduardo da Fonte (PP)

Iracema Portella (PP)

Jhonatan de Jesus (PRB)

João Arruda (PMDB)

José Priante (PMDB)

Junior Marreca (PMN)

Leonardo Picciani (PMDB)

Pedro Fernandes (PTB)

Pastor Marco Feliciano (PSC)

Roberto Britto (PP)

Rodrigo Pacheco (PMDB)

Vinícius Carvalho (PRB)

Washington Reis (PMDB)

Zeca Cavalcanti (PTB)

Aelton Freitas (PR)

Arlindo Chinaglia (PT)

Diego Andrade (PSD)

Givaldo Carimbão (PROS)

Henrique Fontana (PT)

Hugo Leal (PROS)

Irajá Abreu (PSD)

Jandira Feghali (PCdoB)

José Guimarães (PT)

Jose Mentor (PT)

Júlio César (PSD)

Lúcio Vale (PR)

Marcio Alvino (PR)

Maurício Quintella Lessa (PR)

Paulo Magalhães (PSD)

Paulo Teixeira (PT)

Sibá Machado (PT)

Vicente Cândido (PT)

Wadih Damous (PT)

Sarney Filho (PV)

Afonso Motta (PDT)

Dagoberto (PDT)

Ivan Valente (PSOL)

Uldurico Junior (PTC)

Silvio Costa (PTdoB)

Valtenir Pereira (PMB)

Alessandro Molon (Rede)