Clique e assine com até 92% de desconto

BC multa Eduardo Cunha e mulher em R$ 1,13 milhão por não declarar recursos no exterior

Documento foi enviado ao Conselho de Ética da Câmara, à 13ª Vara Federal de Curitiba e à Procuradoria-Geral da República; nesta terça-feira, colegiado vai votar a cassação do presidente afastado da Câmara

Por Marcela Mattos 14 jun 2016, 12h04

O Banco Central (BC) decidiu multar o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e sua esposa, a ex-jornalista Cláudia Cruz, em 1,13 milhão de reais por não terem declarado recursos no exterior. O processo foi concluído no dia 6 de junho e entregue ao Conselho de Ética da Câmara nesta terça-feira, mesmo dia em que o colegiado vai votar a cassação de Cunha por manter contas secretas no exterior.

Conforme trecho da decisão do Banco Central, “restaram caracterizadas a materialidade e a autoria da infração de não fornecimento de informações sobre bens, direitos e valores de qualquer natureza, existentes fora do território nacional”. Só para Eduardo Cunha, foi aplicada uma multa de 1 milhão de reais. Neste caso, o documento tem como data-base o período entre 31 de dezembro de 2007 e 31 de dezembro de 2014.

Sob o mesmo argumento de ausência de informações sobre os bens, a mulher de Cunha foi autuada em 132.486,55 reais. O período considerado pelo BC em relação ao caso de Cláudia Cruz é de 31 de dezembro de 2009 e 31 de dezembro de 2014.

Além do Conselho de Ética, o BC também encaminhou a documentação para a 13ª Vara Federal de Curitiba, que concentra as investigações da Operação Lava Jato, em 1ª instância, sob coordenação do juiz Sergio Moro, e para a Procuradoria-Geral da República.

Continua após a publicidade
Publicidade