Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Caso Celso Daniel, julgamento da segunda instância e a volta de Queiroz

Augusto Nunes, Dora Kramer e Ricardo Noblat comentam as novas declarações de Marcos Valério sobre o caso Celso Daniel

Por Da Redação - Atualizado em 25 out 2019, 18h30 - Publicado em 25 out 2019, 17h58

A edição da revista VEJA desta semana traz um depoimento inédito de Marcos Valério que cita o ex-presidente Lula como um dos mandantes da morte do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel. O operador conta que o ex-presidente deu aval para pagar a chantagista que iria apontá-lo como envolvido no assassinato do então prefeito da cidade do ABC paulista.

Dora Kramer considera que o caso é um esqueleto e Marcos Valério é um fantasma que assombra o PT. A reportagem traz de volta à tona um caso muito mal explicado, já que a polícia trata como crime comum, mas o Ministério Público nunca ficou convencido disso.

Ricardo Noblat avalia que Valério não trouxe nenhuma prova concreta do que está falando e a única novidade é que o próprio Valério foi acionado para negociar com Ronan para não denunciar Lula no caso.

Augusto Nunes afirma que Marcos Valério precisa contar tudo o que sabe, assim como o PT, senão essas versões vão circular até o fim dos tempos.

Publicidade

Os colunistas também comentam o início do julgamento no STF sobre a prisão após condenação em segunda instância e a volta de Fabrício Queiroz ao centro das atenções da política brasileira.

Publicidade