Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Thiago Silva diz como tentará parar Messi: ‘É o maior da história’

O defensor ressaltou a qualidade do camisa 10 da Argentina e disse que é preciso trabalhar coletivamente para neutralizá-lo

Por Luiz Felipe Castro - Atualizado em 29 jun 2019, 19h33 - Publicado em 29 jun 2019, 18h33

BELO HORIZONTE- O zagueiro Thiago Silva concedeu entrevista neste sábado, 29, no primeiro dia de treinos da seleção brasileira na capital mineira, onde o time enfrenta a Argentina, pela semifinal da Copa America, na próxima terça-feira, 2 de julho. O defensor se mostrou confiante para o clássico, mas rasgou elogios ao rival Lionel Messi.

“Todas as vezes que a gente se enfrenta, seja na seleção ou na Champions League, é sempre muito difícil, porque o Messi é um jogador que por mais que você estude, você nunca vai entender a qualidade que tem e a diferença que pode fazer. Você imagina uma coisa e ele tira outra da cartola, esse é o diferencial dele”, explicou, na Cidade do Galo, depois do treino desta tarde.

Thiago chegou a tratar Messi  como o melhor de todos os tempos. “Para mim é o maior jogador da história, o maior que eu vi jogar, e é sempre um privilégio vê-lo.” Depois, fez uma ressalva. “Não vi Pelé, não vi Zico, Maradona… O único que vi jogar dessa maneira foi o Messi. Embora tenha visto outros grandes jogadores como Ronaldinho, Ronaldo, Adriano, Seedorf, mas acho que ninguém como Messi. E até por isso temos de exaltar tanto o Cristiano Ronaldo por ter conseguido competir com ele.”

O zagueiro do Paris Saint-Germain, no entanto, deu pistas de como a seleção brasileira pretende marcar o destaque argentino. “O principal é ter o cuidado quando a gente tem a bola, porque muitos falam que o Messi caminha, mas ele sempre esta buscando o espaço para que quando o time recupere a bola seja ele o primeiro a puxar o contra-ataque. E quando eles tiverem com a bola, vamos tentar fazer com que ela chegue dividida, não tão limpa para ele. Quem estiver marcando não precisa necessariamente tirar a bola, mas esperar para dobrar a marcação e dificultar as ações dele.”

Publicidade

Há dez anos na seleção, Thiago Silva disse viver o momento de maior solidez defensiva no time.”Sem sombra de dúvidas, mas essa solidez começa lá na frente com nossos atacantes, sempre procuro frisar isso. Não é um trabalho só meu e do Marquinhos, mas principalmente do Casemiro, que nos ajuda muito, e lá na frente tem Firmino, Gabriel Jesus. É uma equipe completa, mas temos de seguir nesta pegada, porque só conquistando títulos vamos entrar para a história da seleção.”

Integrante do grupo da Copa de 2014, apesar de, suspenso, não ter atuado na derrota por 7 a 1 para a Alemanha, Thiago negou que aquela partida influencie no psicológico do time no retorno ao Mineirão. “Não incomoda. Claro que ninguém tem amnésia, ninguém esqueceu nem vai esquecer, mas a vida é assim, não podemos pensar só nas coisas ruins.” E lembrou de uma vitória por 3 a 0 sobre a própria Argentina, no estádio, em 2016.  “É esse lado positivo que temos de levar.”

 

Publicidade