Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

‘Washington Post’: Bolsonaro é pior líder mundial a lidar com coronavírus

Em editorial, jornal americano sugere que Donald Trump aconselhe presidente brasileiro a apoiar o isolamento social

Por Da Redação Atualizado em 15 abr 2020, 10h37 - Publicado em 15 abr 2020, 09h59

O tradicional jornal americano The Washington Post publicou nesta terça-feira, 14, um editorial que apontou o presidente Jair Bolsonaro como o pior líder mundial a comandar uma reação contra a pandemia do novo coronavírus. Segundo a publicação, o chefe de Estado brasileiro coloca vidas em risco ao minimizar a força da Covid-19.

O texto de opinião assinado pelo conselho editorial do veículo americano tem como título “Líderes arriscam vidas minimizando o coronavírus. Bolsonaro é o pior”. Ao lado do brasileiro estão os presidentes do Turcomenistão, Belarus e Nicarágua, segundo o jornal. O líder deste último não aparece em público há mais de um mês para tratar das questões da crise gerada pela pandemia.

“Quando as infecções começaram a espalhar no país com mais de 200 milhões de pessoas, o populista de direita chamou o coronavírus de ‘gripezinha’ e pediu que os brasileiros ‘enfrentassem o vírus como homem, não como moleques'”, registra o artigo sobre Bolsonaro.

O jornal ainda citou a campanha “O Brasil não pode parar” e as discordâncias públicas entre Bolsonaro e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, como exemplos de más condutas do presidente brasileiro. Afirma ainda que o aumento de casos nas últimas semanas e o baixo índice de respeito ao isolamento social em São Paulo durante o feriado da Páscoa podem ser atribuídos em parte à retórica de Bolsonaro.

Continua após a publicidade

Por fim, o editorial recomendou ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que aconselhasse Bolsonaro quanto ao isolamento social. O republicano, que no início se posicionou contra a medida, passou a apoiar ações recomendadas por profissionais de saúde para conter o coronavírus.

“Ele (Trump) poderia fazer um grande favor ao telefonar para Bolsonaro, que é seu aliado político, e pedir que ele faça o mesmo”, conclui o Post.

O Brasil registrou até a manhã desta quarta-feira, 15, 25.684 casos de coronavírus e 1.557 mortes. País mais afetado pela pandemia, os Estados Unidos registram mais de 25.000 mortes.

ASSINE VEJA

O vírus da razão O coronavírus fura a bolha de poder inflada à base de radicalismo. Leia também: os relatos de médicos contaminados e a polêmica da cloroquina
Clique e Assine
Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)