Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vídeo mostra a dificuldade para localizar submarino argentino

Mal tempo dificulta as buscas pelo submarino argentino desaparecido desde quarta-feira com 44 pessoas a bordo

As péssimas condições climáticas estão dificultando o trabalho de busca pelo submarino argentino ARA San Juan, desaparecido desde quarta-feira com 44 tripulantes a bordo. Um vídeo divulgado pela assessoria de imprensa da Marinha argentina mostra a altura das ondas na zona de operações de buscas pelo submarino.

Em comunicado a imprensa, o porta-voz da Marinha Argentina, Enrique Balbi, informou que as péssimas condições climáticas devem dificultar as buscas até terça-feira. “A altura das ondas, somado ao pouco que emerge do submarino, a cor preta de sua pintura, o perfil fino da vela e o estado do mar estão dificultando a detecção tanto radial quanto visual”.

A tempestade tem causado ondas de 5 metros de altura e ventos de 75 quilômetros por hora, o que obrigou a concentrar as buscas por vias aéreas. Diversos países estão colaborando nas buscas, inclusive o Brasil que já enviou três embarcações e dois aviões.

O submarino desapareceu na última quarta-feira, com 44 tripulantes a bordo, entre eles a primeira mulher assistente de submarino da América do Sul, Eliana María Krawczyk. O último contato foi feito na altura do Golfo de San JorgeA principal hipótese levantada pela Marinha é de que uma pane elétrica pode ter rompido a comunicação da embarcação. Os rumores de que teria acontecido um incêndio abordo foram descartados.

No sábado, o Ministro da Defesa anunciou que sete chamadas por satélites foram detectadas, o que levantou a esperança de ter partido do submarino. Porém, nesta segunda-feira, Enrique Balbi anunciou que nenhuma partiu da embarcação. “Foram analisados 400 sinais de rádio na frequência da comunicação por satélite. Houve sete tentativas, mas não correspondem ao submarino ARA San Juan”.

O submarino estava previsto para chegar a Mar Del Plata nesta segunda-feira, porém, a previsão poderia ser estendida para mais dois dias devido às condições do tempo. Balbi acredita que a embarcação ainda esteja em movimento e pode chegar dentro do prazo. Ele também informou que o submarino possui suprimentos suficientes para sobreviver por 90 dias em condições normais e 10 dias em condições muito adversas.

Segundo a Marinha, apesar das condições meteorológicas adversas, 80% da área marítima já foi rastreada a partir do ar. Os familiares dos tripulantes já se encontram na base naval de Mar del Plata à espera de notícias