Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Veneza: Muita água ainda para rolar

Com celebração prematura, cadeia de barreiras para evitar enchentes pode vir a se transformar numa vitória de Pirro. Ah, se fosse no Brasil...

Por Fábio Altman Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 4 jun 2024, 15h01 - Publicado em 9 out 2020, 06h00

“Paramos o mar”, anunciou com triunfalismo o prefeito de Veneza, Luigi Brugnaro, ao celebrar os primeiros bons resultados da cadeia de barreiras artificiais construída para evitar as enchentes da Sereníssima. “Hoje está tudo seco.” No sábado 3 de outubro, os registros marcaram maré de 1,3 metro, e não de devastador 1,87 metro, como aconteceu em novembro do ano passado, quando a acqua alta subiu agressivamente. A diferença pôde ser vista a olhos nus — em anos de muita água, o Adriático avança e transforma pontos vulneráveis como a Praça de São Marcos em mar. Desta vez, as passarelas artificiais não foram cobertas. Houve alívio, mas muito exagero. O Moisés — eis o nome nada modesto do recurso de engenharia, o Mose, acrônimo em italiano para módulo experimental eletromecânico — não é à prova de erros, e já falhou. Especialistas recomendam dezenas de outros testes até que as comportas possam ser realmente aprovadas. Convém atribuir o tom laudatório ao histrionismo do prefeito, que ficou famoso por medidas de restrição a turistas, como os projetos de pôr catracas para controlar o acesso ao centro histórico e a cobrança de 5 euros para quem não dormir na cidade. Ah, se fosse no Brasil a celebração prematura que pode vir a se transformar numa vitória de Pirro… Convém lembrar que, até chegar aonde chegou, o Moisés do Vêneto atravessou escândalos de corrupção e levou para a cadeia, inclusive, um antigo alcaide. Não deve mesmo ser fácil viver em Veneza.

Publicado em VEJA de 14 de outubro de 2020, edição nº 2708

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.