Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Um sócio para o clube: a entrada da Suécia na Otan

Na segunda-feira, sob liderança do primeiro-ministro Viktor Orbán, o Parlamento húngaro finalmente aprovou a admissão do país

Por Caio Saad Atualizado em 8 Maio 2024, 12h45 - Publicado em 1 mar 2024, 09h16

Para a Suécia, país que apostou na pacificação ao fim da Guerra Fria e decidiu desmantelar 90% de seu Exército assim que o Muro de Berlim veio ao chão, buscar a salvaguarda da Otan, a Organização do Tratado do Atlântico Norte, virou questão primordial. É, enfim, ferramenta de defesa, de mãos dadas com outros parceiros ocidentais. Os suecos vinham pedindo assento na aliança desde que a Rússia invadiu a Ucrânia, há dois anos. Ao contrário do que aconteceu com a Finlândia, que tem uma fronteira de 1 300 quilômetros com a nação de Vladimir Putin e teve sua entrada aprovada em poucos meses, a solicitação de Estocolmo vinha esbarrando na má vontade da Turquia e da Hungria (a entrada de qualquer país exige unanimidade de votos dos membros). O entrave com o governo de Tayyip Erdogan foi removido em janeiro, depois que os EUA autorizaram a venda de quarenta caças modelo F-16 para os turcos. Na segunda-feira, sob liderança do primeiro-ministro Viktor Orbán, o Parlamento húngaro finalmente aprovou a admissão da Suécia. Era o “sim” que faltava. O ultradireitista habituara-se a uma desculpa esfarrapada para justificar a demora: a forma pela qual a Hungria era retratada nas escolas do país nórdico. Orgulhoso de comandar uma democracia antiliberal, que persegue minorias, Orbán usou a decisão para sinalizar que pretende vender sempre caro o apoio, caso a União Europeia siga tentando impor sanções à sua administração por desrespeito a direitos civis e restrições ao Judiciário. A sensatez venceu uma batalha, mas outras virão.

Publicado em VEJA de 1º de março de 2024, edição nº 2882

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.