Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

UE retira definitivamente as Farc de sua lista de terrorismo

Em 2016, a União Europeia já havia retirado provisoriamente as sanções à guerrilha, para incentivar o Acordo de Paz assinado entre as Farc e a Colômbia

Por EFE - Atualizado em 13 nov 2017, 15h47 - Publicado em 13 nov 2017, 10h05

Os ministros das Relações Exteriores da União Europeia (UE) decidiram nesta segunda-feira eliminar definitivamente as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) de sua lista de organizações terroristas, durante um Conselho em Bruxelas, segundo informaram fontes do bloco.

A decisão política já havia sido tomada de antemão pelos embaixadores dos Estados-membros, e hoje os ministros ratificaram a  resolução.

A União Europeia já mantinha as Farc “suspensas” da lista de terrorismo desde o dia 26 de setembro de 2016, para incentivar o processo de paz na Colômbia. A inclusão do grupo na lista ocorreu em setembro de 2001.

A suspensão permitia travar provisoriamente as sanções europeias contra a guerrilha, entre elas o congelamento de bens e a proibição de disponibilizar fundos para seus integrantes.

Publicidade

A lista de organizações terroristas da União Europeia inclui pessoas ou grupos que atuam dentro ou fora do bloco e é revisada constantemente pelo Conselho (instituição na qual estão representados os governos dos Estados-membros), pelo menos, a cada seis meses.

Os integrantes dessa lista podem ser alvo de congelamento de fundos ou bens financeiros na União Europeia e de medidas restritivas em relação à cooperação policial e jurídica.

Publicidade