Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

UE anuncia proibição parcial de importações de petróleo russo

A medida impacta 75% das importações imediatamente e 90% até o fim do ano. Estão isentos países como Hungria, Eslováquia e República Tcheca

Por Da Redação Atualizado em 31 Maio 2022, 16h35 - Publicado em 31 Maio 2022, 08h51

O chefe do Conselho Europeu, Charles Michel, informou na noite de segunda-feira 30 que a União Europeia concordou com uma proibição parcial das importações de petróleo russo.

“Acordo para proibir a exportação de petróleo russo para a UE. Isso cobre imediatamente mais de 2/3 das importações de petróleo da Rússia, cortando uma enorme fonte de financiamento para sua máquina de guerra”, Michel publicou no Twitter.

A decisão foi tomada durante uma cúpula extraordinária do Conselho Europeu para discutir um sexto pacote de sanções contra a Rússia, que inclui outras medidas para prejudicar a economia da Rússia: bloquear o maior credor do país, o Sberbank, da plataforma de mensagens Swift, que facilita transações internacionais, ao lado de mais dois bancos.

A União Europeia também eliminará gradualmente a oferta de vários serviços, como seguros para entidades russas por empresas da União Europeia, e proibirá empresas do bloco de segurar as transferências de petróleo russas.

A tão aguardada proibição do petróleo, contudo, ainda teve desfalques. As sanções afetarão imediatamente 75% das importações de petróleo russas e, até o final do ano, 90% do petróleo russo importado na Europa será banido. Os 10% restantes, segundo a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, são uma isenção feita para a Hungria, Eslováquia e República Tcheca. (A Hungria era a maior opositora ao embargo completo, devido à sua dependência do insumo).

O transporte marítimo do produto será totalmente proibido, mas esses países continuarão recebendo o combustível pelo segmento sul do oleoduto Druzhba. O segmento norte do oleoduto – Polônia e a Alemanha – concordou com o embargo.

Outros países também entraram na isenção. Segundo o primeiro-ministro da Bulgária, Kiril Petkov, seu país está isento do embargo até o final de 2024, e que mais detalhes sobre a isenção seriam revelados posteriormente.

A Europa é a maior compradora de energia russa. O petróleo russo representou 27% das importações do bloco em 2021, segundo o Eurostat. Isso significa cerca de 2,4 milhões de barris por dia, mostram dados da Agência Internacional de Energia, e cerca de 35% disso foi entregue via dutos para o bloco.

Mas as entregas por oleodutos representaram uma parcela muito maior dos embarques de petróleo russos para a Hungria (86%), República Tcheca (97%) e Eslováquia (100%).

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)