Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Trump pressiona autoridade da Geórgia para “achar” votos a seu favor

Em gravação obtida pelo jornal Washington Post, secretário de estado da Geórgia rejeita pedido do presidente e diz que ele tem "dados errados"

Por Felipe Branco Cruz Atualizado em 6 jan 2021, 11h26 - Publicado em 3 jan 2021, 18h08

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pressionou o secretário de estado da Geórgia, o republicano (mesmo partido do presidente) Brad Raffensperger, a “encontrar” votos a seu favor que poderiam mudar o resultado das eleições no estado. A ameaça foi feita durante uma ligação de mais de uma hora de duração neste sábado, 2. O jornal The Washington Post teve acesso a gravação e publicou o conteúdo da conversa. O estado é responsável por 16 votos no colégio eleitoral. O democrata Joe Biden foi eleito presidente dos Estados Unidos em novembro. No estado da Geórgia, ele venceu com 49,5% dos votos, ante 49,3% de Trump, ou seja, uma diferença de 11.779 votos.

Na conversa, Trump usou argumentos falsos e se valeu de teorias conspiratórias para tentar convencer Raffensperger a recontar os votos, como as acusações (falsas) de que as cédulas do condado de Fulton foram destruídos e de que as urnas eletrônicas da empresa Dominion Voting Systems foram adulteradas e substituídas. O secretário rejeitou os argumentos de Trump. “Senhor presidente, os dados que você tem estão errados”, ele disse. “Você deveria buscar uma eleição acurada. Você é republicano”, Trump rebateu. “Olhe, tudo o que eu quero é isso. Eu só quero encontrar 11.780 votos, um a mais do que nós temos. Porque nós vencemos nesse estado”, continuou o presidente.

Em seguida, o presidente ameaçou Raffensperger dizendo que o secretário estava fazendo poderia ser considerado um crime. “Você sabe, isso é um crime. É um crime. E você sabe, você não pode deixar isso acontecer. É um grande risco para você e para o Ryan, seu advogado. Um grande risco”, disse Trump.

Continua após a publicidade
Publicidade