Clique e assine a partir de 9,90/mês

Trump assina decreto para reforma policial

Medida ocorre após semanas de protestos contra a morte de George Floyd; O presidente não menciona o racismo como um problema dentro da polícia

Por Da Redação - 16 jun 2020, 14h38

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou nesta terça-feira, 16, um decreto que prevê a reforma na polícia do país. O ato ocorre em decorrência das semanas de protestos contra a violência policial, depois da morte de George Floyd.

“Reduzir o crime e aumentar a qualidade (da polícia) não são objetivos opostos”, Trump disse nos jardins da Casa Branca. “Eles trabalham juntos. E é por isso que assino hoje um decreto que irá encorajar os departamentos de polícia ao redor do país a adotarem os padrões mais elevados para servir suas comunidades. Esses padrões serão os mais altos que existem no Mundo”, afirmou.

Ao contrário do proposto por grupos ligados aos diretos humanos, que queriam diminuição dos recursos para as forças policiais, a medida de Trump prevê o aumento do investimento em equipamentos. A medida também prevê que departamentos de polícia compartilhem o histórico de seus agentes. Dessa forma, um policial que já tenha abusado da força enfrente dificuldades em se realocar. Segundo presidente, os Estados Unidos vão incentivar o uso de novas armas não letais para diminuir os encontros que resultem em morte. A imobilização com o joelho – a causa da morte de Floyd – será banida, a não ser em casos em que o agente esteja em risco de morte.

O presidente não deu mais detalhes sobre o conteúdo da ordem executiva, mas afirmou que irá trabalhar junto ao Congresso para elaborar uma reforma mais sólida. Segundo o jornal The Washington Post o senador republicano Tim Scott, o único afrodescendente nas fileiras do partido Republicano no Senado, está encarregado de elaborar o pacote de medidas. Espera-se que o texto seja publicado na íntegra ainda nesta semana.

Continua após a publicidade

Trump, no entanto, não mencionou o racismo como um problema dentro da polícia e enfatizou que o policiamento tem apoio na sociedade. Antes da coletiva, o presidente se reuniu com famílias que foram vítimas da violência policial nos últimos anos.”A todas as famílias em dor, eu quero que vocês saibam que todos os americanos estão de luto ao seu lado”, disse o presidente. “Seus entes-queridos não terão morrido em vão.”

Publicidade