Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Suspeita de fraude faz OEA pedir novas eleições em Honduras

O atual presidente Juan Orlando Hernández venceu o adversário com 1,53% de diferença; desde as eleições, diversos protestos tomaram as ruas do país

Por Da redação
18 dez 2017, 12h14

A Organização dos Estados Americanos (OEA) propôs no último domingo a realização de novas eleições presidenciais em Honduras depois que o tribunal eleitoral do país oficializou a vitória do atual presidente Juan Orlando Hernández na votação de 26 de novembro. Segundo o secretário-geral da OEA, Luís Almagro, o processo eleitoral hondurenho não foi democrático.

Hernández, candidato do Partido Nacional (PN) de centro-direita, venceu por 42,95% dos votos contra 41,42% do adversário da Aliança de Oposição contra Ditadura e famoso apresentador de programa do país, Salvador Nasralla.

Inicialmente, o Tribunal Superior Eleitoral anunciou a liderança de Nasralla com metade dos votos apurados. Após 36 horas sem novos anúncios sobre a apuração, Hernández foi dado como vencedor com a pequena diferença de 1,53 ponto percentual.

O secretário-geral da OEA afirmou que o processo eleitoral apresentou irregularidades e deficiências que permitem classificá-lo como “de qualidade técnica muito baixa e carente de integridade”, e por isso propôs uma nova votação. “O único caminho possível para que o vencedor seja o povo de Honduras é uma nova convocação de eleições gerais”, disse.

Nasralla rejeitou a decisão do tribunal e disse que viajará a Washington para se reunir com Almagro e autoridades dos Estados Unidos “em busca de uma resposta internacional que ajude a encerrar a crise” política em Honduras. “Está claro que houve fraude antes, durante e depois das eleições. Sabemos que ganhamos estas eleições”, disse em um vídeo publicado em sua página de Facebook.

Continua após a publicidade

Mais cedo, o chefe da missão de observação eleitoral da OEA em Honduras, Jorge Tuto Quiroga, afirmou que não poderia confirmar uma manipulação intencional do resultado. “A missão não conseguiu confirmar que o Siede (sistema de apuração e divulgação eleitoral) foi manipulado com dolo, mas se pode afirmar que não contou com as robustas medidas de segurança necessárias para garantir sua integridade, e que por isso sua segurança foi violada”, afirmou.

Desde que foi divulgado o resultado das eleições diversos protestos se espalharam pelo país. De acordo com a Comissão Nacional de Direitos Humanos de Honduras, dezesseis pessoas  morreram nos protestos, incluindo dois policiais, além de 1.600 que ficaram feridas.

(com Reuters)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.