Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Senadora usa burca em protesto no parlamento australiano

Política ultraconservadora quer proibir vestimenta por razões de segurança

Por Da redação Atualizado em 17 ago 2017, 08h59 - Publicado em 17 ago 2017, 08h50

A senadora australiana Pauline Hanson, líder do partido ultraconservador Uma Nação, compareceu nesta quinta-feira (17) ao parlamento da Austrália vestida com uma burca como parte de sua campanha contra este tipo de vestimenta que cobre as mulheres muçulmanas dos pés à cabeça.

A senadora permaneceu em sua cadeira coberta com o véu de cor preta durante aproximadamente 20 minutos, antes de tomar a palavra e tirar a vestimenta para pedir a proibição por razões de segurança.

“Se uma pessoa deve tirar um gorro que cobre toda a cabeça ou um capacete antes de entrar em um banco ou em qualquer outro edifício, inclusive em tribunais, por que isto não acontece com alguém que tem o rosto coberto e não pode ser identificado?”, disse Pauline.

O procurador-geral da Austrália, George Brandis, repreendeu o que chamou de espetáculo feito pela senadora do Uma Nação, um partido que conta com outros três assentos na Câmara. “Faço uma advertência e peço que tenham muito cuidado para não ofender as sensibilidades religiosas dos australianos”, em referência às leis contra discriminação racial e em favor da liberdade religiosa, disse Brandis. Ele estimou que em 500 mil o número de australianos de credo muçulmano.

  • (Com EFE)

    Continua após a publicidade
    Publicidade