Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Reforma: Torre Eiffel terá primeiro andar transparente

O intuito é dar ao espectador a sensação de flutuar sobre Paris, informaram nesta quarta-feira os responsáveis pela obra

Por Da Redação 12 out 2011, 15h26

A Torre Eiffel começará em fevereiro a passar por uma reforma. O primeiro de seus três andares ganhará um chão transparente que dará ao espectador a sensação de flutuar sobre Paris, informaram nesta quarta-feira os responsáveis pela obra.

Será o ponto mais espetacular da reformulação da “Dama de Ferro” francesa. O piso novo fica situado a 54 metros de altura, em comparação aos 330 do topo. O objetivo dos organizadores é tornar esse andar mais atraente, já que por ele só passa atualmente metade dos 7 milhões de visitantes anuais da Torre Eiffel, indicou a empresa que administra o monumento, propriedade da prefeitura de Paris.

Para isso, além de modernizar as lojas, restaurantes e espaços de conferências que atualmente ocupam 5.000 metros quadrados, o arquiteto Alain Moatti projetou o chão transparente para parte da área central do andar, que não será totalmente coberta, mas que contará com planos inclinados, também transparentes, para aproximar o máximo possível o turista da sensação de estar voando sobre Paris. Com o dispositivo, Moatti pretende também mostrar de perto as estruturas de sustentação da torre, até agora ocultas.

Toque de modernidade – O arquiteto quis dar um toque de modernidade ao primeiro andar do monumento sem perder o espírito dado por Gustave Eiffel quando o projetou para a Exposição Universal de 1889. Junto a essa visão panorâmica, as obras esperam também reformar os dois grandes espaços fechados do andar, além do restaurante, sempre se preocupando com a transparência dos muros.

A atual sala de recepção Gustave Eiffel será totalmente reformada e oferecerá ao turista uma vitrine da cidade. O espaço Ferrié também será modificado e abrigará, segundo Moatti, um banheiro com vista para Paris. Todos os pavilhões desse andar serão pintados com a cor original da Torre Eiffel.

Deficientes físicos – A reforma permitirá também adequar o espaço aos deficientes físicos, que poderão se deslocar por todos os cantos do andar, além de incluir a colocação de quatro painéis solares e moinhos eólicos para produzir até 8.000 quilowatts por ano, o que permitirá suprir metade da necessidade de água quente dos banheiros.

As obras custarão 25 milhões de euros, cujo financiamento será feito pela própria empresa que administra o monumento, que não fechará durante a reforma, prevista para terminar em meados de 2013. Os responsáveis pela Torre Eiffel esperam que o número de visitantes ao primeiro andar aumente 20%.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade