Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Rainha das Criptomoedas entra para lista dos mais procurados do FBI

Ruja Ignatova, também conhecida como a 'Rainha das Criptomoedas desaparecida', é a única mulher na lista dos 10 mais procurados da agência

Por Da Redação 1 jul 2022, 10h23

O FBI, departamento federal de investigação dos Estados Unidos, adicionou nesta sexta-feira, 1, a foragida Ruja Ignatova à sua lista das 10 pessoas mais procuradas do mundo. Conhecida como “Rainha das Criptomoedas”, ela é acusada de dar golpes com a moeda virtual.

A mulher búlgara, que se acredita ter cerca de 40 anos, é procurada por seu suposto papel na execução de um golpe de criptomoeda conhecido como OneCoin. O FBI diz que a fugitiva usou o esquema para roubar mais de US$ 4 bilhões de suas vítimas.

Ela está desaparecida desde 2017, quando autoridades dos Estados Unidos assinaram um mandado de prisão contra a suspeita.

Em 2014, a OneCoin começou a oferecer comissões aos compradores se eles vendessem a moeda para mais pessoas. No entanto, os agentes do FBI dizem que a moeda não tinha valor e nunca foi protegida pela tecnologia blockchain usada por outras criptomoedas.

De acordo com alegações feitas por promotores federais, era essencialmente um esquema de pirâmide disfarçado de criptomoeda.

+ Criptotrambique: golpes de pirâmides financeiras se modernizam

“Ela cronometrou seu esquema perfeitamente, capitalizando a especulação frenética dos primeiros dias da criptomoeda”, disse Damian Williams, principal promotor federal de Manhattan.

Continua após a publicidade

O FBI adiciona fugitivos à sua lista de mais procurados quando acredita que o público em geral pode ajudar a localizá-los. Um aviso do escritório publicado na quinta-feira 30 ofereceu uma recompensa de US$ 100.000 por qualquer informação que levasse à prisão de Ignatova. Ela também foi acusada de fraude eletrônica e fraude de valores mobiliários.

A Rainha das Criptomoedas é a única mulher na lista dos 10 mais procurados do FBI.

Uma das razões pelas quais é tão difícil rastrear Ignatova é que ela desapareceu com pelo menos US$ 500 milhões, ajudando-a a se esconder. Também acredita-se que ela possui documentos de identidade falsos de alta qualidade e mudou sua aparência.

Ignatova foi vista pela última vez embarcando em um voo da Bulgária para a Grécia em 2017 e está desaparecida desde então.

+ O lado obscuro das criptomoedas, cada vez mais populares

O esquema começava com uma mensagem sobre “uma oportunidade de investimento imperdível”. Depois, os interessados eram direcionados para webinars sobre a OneCoin, que duravam cerca de uma hora e eram repletos de entusiasmo sobre como a nova criptomoeda poderia render fortunas.

Vítimas disseram que levou meses até que percebessem que era tudo uma farsa.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)