Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Rainha da cocaína’ é assassinada em Medellín

Griselda Blanco, uma das pioneiras da rota de tráfico entre a Colômbia e a Flórida, era conhecida como madrinha do traficante Pablo Escobar

Griselda Blanco, conhecida como a “Rainha da Cocaína”, especialmente durante os anos 1970 e 1980, foi assassinada aos 69 anos nesta segunda-feira em Medellín, Colômbia. Ela foi baleada por duas pessoas ainda não identificadas quando deixava um açougue em sua cidade natal, publicou o jornal Miami Herald.

Muitos esperavam que Griselda acabasse sendo assassinada desta forma, uma vez que ela própria utilizava, contra seus inimigos, a tática de ordenar que criminosos de moto atirassem contra uma pessoa e depois fugissem. O ex-detetive Nelson Andreu, que dirigiu uma investigação contra ela no passado, disse estar surpreso por Griselda ter sobrevivido tantos anos, pois tinha muito desafetos no mundo do crime. “Quando você mata e machuca tantas pessoas, como ela fez, é só uma questão de tempo até que te encontrem e tentem empatar o placar”.

No momento do crime, Griselda estava acompanhada de sua nora grávida, que não sofreu nenhum ferimento. A testemunha contou ao jornal El Colombiano que a sogra não estava mais envolvida com atividades criminosas e, nos últimos anos, vivia da renda de imóveis.

Perfil – A criminosa, uma das pioneiras da rota de tráfico entre a Colômbia e a Flórida, nos Estados Unidos, era conhecida como madrinha do traficante Pablo Escobar. Ela passou quase duas décadas em uma prisão americana, após ser presa, em meados da década de 1980, respondendo pelos crimes de tráfico de drogas e o assassinato de três pessoas, entre elas uma criança de dois anos. Em 2004, voltou para a Colômbia, onde viveu seus últimos anos de forma discreta.