Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

PIB dos EUA recua 4,8% no 1º trimestre sob impacto do coronavírus

Queda encerra uma década de crescimento no país; contração aguda reflete a paralisação das atividades nas últimas duas semanas de março

Por Da Redação 29 abr 2020, 12h19

O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos registrou contração de 4,8% no primeiro trimestre de 2020 sob impacto do coronavírus, segundo as primeiras estimativas em ritmo anual publicadas pelo Departamento do Comércio. Esta é a queda mais expressiva desde os últimos três meses de 2008, quando o Produto Interno Bruto (PIB) recuou 8,4%.

Os dados são uma primeira estimativa, e vão passar por revisões posteriores. No período, o dano provocado pela Covid-19 ficou restrito principalmente ao fim de março e, mesmo assim, os dados mostram um impacto brutal, uma situação que a economia americana não registrava desde a década passada.

A maioria dos componentes-chave da produção econômica dos Estados Unidos – incluindo os gastos do consumidor, que representam dois terços da atividade econômica – caíram acentuadamente.

O Departamento do Comércio advertiu que “nem todos os efeitos econômicos da pandemia de Covid-19 podem ser quantificados na estimativa do PIB para o primeiro trimestre de 2020”. A contração aguda reflete a paralisação das atividades nas últimas duas semanas de março, quando milhões de americanos perderam seus empregos em consequência das medidas para tentar conter o vírus.

  • Ao todo, nos primeiros 28 dias do surto no país, 22 milhões de pessoas se registraram para receber auxílio-desemprego, ou seja, foram demitidas. “A recessão global pelo coronavírus atingiu a economia americana com uma força tremenda, encerrando 10 anos de crescimento sustentável”, afirma uma nota da Oxford Economics.

    Estados Unidos lideram a lista de países com mais vítimas fatais da Covid-19, com mais de 58.000 mortes. O país tem ainda mais de 1 milhão de pessoas contaminadas, além de 115.936 recuperados.

    (Com AFP)

    Continua após a publicidade
    Publicidade