Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Pentágono divulga relatório sobre OVNIs

Documento relata três episódios, mas não faz menção à possibilidade de os objetos serem de origem extraterrestre

Por Da Redação Atualizado em 14 Maio 2020, 15h00 - Publicado em 14 Maio 2020, 13h25

O Pentágono divulgou nesta quinta-feira, 14, um relatório que detalha os encontros entre aviões militares dos Estados Unidos com “fenômenos aéreos não identificados”. Há menos de um mês, o governo americano retirou o sigilo de três vídeos que mostram a proximidade dos pilotos aos objetos voadores. Em nenhum momento, porém, o relatório menciona que os objetos possam ser de origem extraterrestre. A suspeita mais forte está na criatividade da Rússia e da China em criar artefatos para a espionagem.

“A aeronave não identificada parece ser de pequeno porte, de tamanho aproximado ao de uma maleta de cor prata”, descreve o relatório sobre um encontro ocorrido no dia 26 de março de 2014. Durante o episódio, o avião americano “passou a 300 metros de distância do objeto, mas foi incapaz de determinar a identidade da aeronave”, diz o relatório. O piloto “tentou ganhar contato visual com a aeronave, mas não conseguiu”, conclui.

ASSINE VEJA

Quarentena em descompasso Falta de consenso entre as autoridades e comportamento de risco da população transforma o isolamento numa bagunça. Leia nesta edição
Clique e Assine

O relatório descreve as aeronaves não identificadas como Sistemas Aéreos Não Tripulados (UAS, na sigla em inglês), o mesmo termo usado pelo Pentágono para se referir aos drones. O texto foi publicado pelo site The Drive que o solicitou por meio da lei de acesso à informação americana (FOIA).

Em outro encontro, de novembro de 2013, um piloto da Marinha americana conseguiu avistar uma pequena nave. “Essa aeronave tinha cerca de 2,5 metros de largura e estava pintada de branco, sem nenhum outro recurso aparente… Devido ao seu tamanho, a aeronave foi classificada como um UAS”, afirma o relatório.

Continua após a publicidade

Em junho de 2013, outro objeto, da mesma cor branca, foi avistado. Desta vez, ele tinha o “formato de um drone ou míssil”. O relatório aponta que o Pentágono não conseguiu determinar a origem ou quem operava esses objetos.

“Após o voo, a agência controladora entrou em contato com diversas operadoras de UAS, mas nenhuma reivindicou saber sobre as aeronaves não identificadas”, continua o relatório. O texto coloca a possibilidade de os UAS terem sido utilizados por potências rivais, como a Rússia e a China, com o objetivo de conseguir informação sobre as operações militares dos Estados Unidos.

Bola de ping-pong

Os vídeos divulgados em março já haviam sido vazados pela imprensa. O mais famoso, gravado em 2004, ao qual o relatório não faz menção, voava de forma irregular, segundo o piloto aposentado da Marinha David Fravor em entrevista à emissora CNN em 2017. “Quando me aproximei dele, ele acelerou rapidamente para o sul e desapareceu em menos de dois segundos”, relatou, acrescentando que era “como uma bola de pingue-pongue quicando em uma parede”.

O Pentágono lançou um programa para investigar os encontros com os Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs) entre os anos de 2007 e 2012. Após o programa ter sido descontinuado e o público conhecer sua existência, a CNN entrevistou Luiz Elizondo, o ex-chefe da operação, que disse acreditar que “há evidência que talvez nós não estamos sozinhos”. “Essas aeronaves mostram características que os nem os Estados Unidos nem outros países possuem em seus inventários, pelo que sabemos”, afirmou.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)