Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Parlamento afegão ‘perdeu a paciência’ com tropas da Otan

Soldado americano matou 16 civis em suas próprias casas no domingo

O Parlamento afegão alertou nesta segunda-feira que ‘perdeu a paciência’ com as tropas estrangeiras no país após o massacre, por parte de um soldado americano, de 16 civis no domingo, informou a rede BBC. O soldado está sendo interrogado sobre as mortes, e a Otan prometeu justiça.

“Os afegãos perderam a paciência com as ações arbitrárias das forças estrangeiras”, afirmou o Parlamento em comunicado. “Pedimos firmemente que o governo americano castigue os culpados e os julgue em um processo público ante o povo afegão”, completou o Parlamento de Cabul.

Ameaças – A declaração acontece após os EUA emitirem um alerta diante do risco de ataques perpetrados pelo Talibã. Os terroristas prometeram se vingar das mortes do último domingo, dentre as quais as de nove crianças.

Antes do massacre, a tensão entre os afegãos e os americanos já estava alta, com a queima de exemplares do Alcorão em uma base da Otan no mês passado. O episódio provocou vários protestos contra os EUA ao longo ao Afeganistão.

Diplomacia – O presidente afegão, Hamid Karzai, condenou o incidente, classificando-o de “imperdoável”. Por sua vez, o presidente americano Barack Obama chamou o massacre de “trágico e lamentável”, além de ter prometido uma “investigação exaustiva”.

No domingo, um soldado americano da força internacional da Otan saiu de sua base na província de Kandahar, fortemente armado, e matou os moradores de duas casas próximas, incluindo nove crianças e três mulheres. Depois, ele queimou os corpos.