Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Paris homenageará Marielle Franco com nome de espaço público

Prefeita da capital francesa afirmou que ideia partiu dela própria e foi aprovada pelo Conselho Municipal; ex-vereadora pode batizar rua, praça ou passarela

Por Da Redação - Atualizado em 2 abr 2019, 02h39 - Publicado em 2 abr 2019, 02h38

O Conselho Municipal de Paris aprovou, nesta segunda-feira 1º, a proposta de intenção para dar o nome de vereadora assassinada Marielle Franco (PSOL-RJ), em 14 de março de 2018, a um espaço público na cidade. O anúncio foi feito pela prefeita da capital francesa, Anne Hidalgo.

O local que receberá o nome da vereadora assassinada ainda não foi definido. Pode ser uma rua, praça ou passarela. Hidalgo disse que a proposta foi apresentada por ela e comemorou a aprovação via conta pessoal no Twitter.

“Os representantes eleitos parisienses aprovaram esta manhã a proposta que lhes apresentei com a minha equipe: um lugar em Paris levará o nome de Marielle Franco, ativista dos direitos humanos, eleita do Rio de Janeiro, assassinada em março de 2018.”, escreveu a prefeita parisiense.

Mônica Benício, viúva de Marielle, considera a homenagem francesa uma “mensagem contra a violência aos defensores de direitos humanos e homenagem às mulheres negras”. Para ela, a decisão fortalece e ajuda a proteger a vida de ativistas principalmente no Brasil.

“A decisão foi muito relevante diante da discussão do significado e da necessidade do defensor de direitos humanos no mundo hoje”, disse. “A gente vem vivendo uma onde de retrocessos que é global e o Brasil é um dos países mais perigosos para esses ativistas. Ter a imagem de Marielle tornando-se esse símbolo, da importância do papel dos defensores de direitos humanos, é muito importante e cumpre o papel de preservação da memória dela.”

Marielle Franco e o motorista Anderson Pedro Gomes foram mortos, no ano passado, no centro do Rio de Janeiro. Recentemente a polícia prendeu dois suspeitos de execução do crime. A vereadora e o motorista foram assassinados com vários tiros. Uma pessoa sobreviveu.

Publicidade

(Com Agência Brasil e Estadão Conteúdo)

Publicidade