Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Paraguai: Brasil deve adotar posição alinhada com a Unasul

Informação é do ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota

O governo brasileiro está realizando consultas a países da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) antes de manifestar sua posição sobre o novo governo do Paraguai, empossado após a cassação de Fernando Lugo, informou o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, em entrevista à TV Globo. A ideia, segundo o ministro, é ter uma posição pactuada entre os países do bloco.

Leia mais:

Federico Franco faz juramento e assume a Presidência

Lugo é cassado e deixa a Presidência

Tema em foco: O impeachment no Paraguai

Patriota não descartou a possibilidade de o Paraguai sofrer sanções por parte dos vizinhos, mas ele não quis detalhar quais. “Existem inúmeras formas de se manifestar, desde o não-convite às autoridades que tomaram poder no Paraguai para participar das cúpulas, até o esfriamento dos contatos em diferentes níveis, mas eu não queria antecipar antes de haver uma coordenação mais estreita da Unasul sobre isso”, disse.

O chanceler informou que, por enquanto, não está prevista a divulgação de nenhum comunicado sobre a posição do país sobre o ocorrido no Paraguai. Ele retornou ao Brasil após integrar a missão da Unasul enviada a Assunção e é o responsável pelas consultas a outros países. Apesar de ainda não defender uma posição oficial, o ministro criticou a forma como Lugo foi destituído do poder: “Foi um retrocesso”, disse Patriota.

Os governos da Argentina, Equador, Bolívia e Venezuela já anunciaram que não reconhecerão o novo presidente. Eles alegam que Federico Franco chegou ao governo por meio de “golpe de estado”.

(Com EFE)