Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Obama acha impossível conceber transição pacífica na Síria com Assad no poder

Por Da Redação - 19 jun 2012, 22h37

Los Cabos (México), 19 jun (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta terça-feira que tanto a Rússia como a China estão cientes dos ‘riscos’ de uma guerra civil na Síria e considerou ‘impossível’ conceber uma transição política pacífica no país árabe com o líder Bashar al Assad no poder.

‘Não vejo um cenário em que Assad continue (no poder) e a violência se reduza’, declarou Obama em entrevista coletiva ao término da Cúpula do G20 em Los Cabos (México).

O chefe de Estado americano teve reuniões paralelas com os líderes da China, Hu Jintao, e da Rússia, Vladimir Putin, os dois países que até agora rejeitaram os projetos de resolução discutidos no Conselho de Segurança para condenar o regime sírio.

Segundo Obama, nem China nem Rússia estão alinhados com os EUA e outros países sobre como agir para frear a violência na Síria.

Publicidade

O líder americano voltou a insistir na perda de legitimidade do governo Assad e condenou os ataques do regime de Damasco contra a população civil. EFE

Publicidade