Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

O que a Espanha tem a perder com a independência da Catalunha?

Em 2015, a região produziu 20,1% do PIB de todo o país

Por Julia Braun Atualizado em 27 set 2017, 17h02 - Publicado em 27 set 2017, 13h32

A crescente crise política na Espanha sobre a campanha de independência da Catalunha se intensificou nas últimas semanas. Apesar de todos os esforços do governo central, a administração regional catalã insiste que vai realizar o referendo no dia 1º de outubro e oficializar a separação 48 horas após a apuração dos resultados, caso essa seja a vontade da maioria da população local.

Ainda não se sabe ao certo se a votação será executada da forma planejada, já que Madri considera as ações dos separatistas uma afronta à Constituição espanhola e tomou uma série de medidas para impedir que aconteça. Com a aproximação da data marcada para a consulta pública, funcionários do governo catalão foram presos, gráficas e jornais foram revistados em busca de material de propaganda, cédulas eleitorais foram recolhidas e centenas de prefeitos foram investigados por apoio ao referendo.

O governo espanhol anunciou também que tomaria o controle parcial das finanças catalãs e que a Guarda Civil espanhola coordenará a polícia da região para fechar pontos de votação e evitar a realização do pleito no domingo. “[Madri] suspendeu, de fato, a autonomia da Catalunha e impôs um estado de exceção”, denunciou então o presidente do governo catalão, o separatista Carles Puigdemont.

Ainda assim, a ameaça do separatismo ronda toda a Espanha, que pode perder muito com a independência da Catalunha. A região representa apenas 6,3% do território e 16% da população espanhola, porém em 2015 foi responsável por 20,1% do produto interno bruto (PIB) do país.

Além de uma grande peça de sua economia, os espanhóis ficariam sem uma de suas principais fontes de renda. Os catalães pagaram 20,8% dos impostos recolhidos pelo governo central em 2016. A Catalunha também é um dos principais locais turísticos da nação: 23,8% do total de visitantes que chegaram à Espanha no ano passado escolheram a região como destino principal.

Para a especialista em política espanhola e movimentos nacionalistas europeus, Caroline Gray, o país ainda abandonaria um de seus muitos aspectos culturais únicos. “A Espanha é uma nação muito diversificada culturalmente, com muitas identidades nas suas muitas regiões, e perder a Catalunha seria falhar em encontrar uma forma de acomodar toda essa diversidade”, diz a britânica, professora da Universidade Aston.

Confira a seguir alguns dos principais indicadores que demonstram a importância da Catalunha para Espanha e ajudam a entender as ações mais recentes do governo central do país, que tanto teme a separação definitiva da região.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês