Clique e assine com até 92% de desconto

Nigéria quer tornar floresta refúgio do Boko Haram em atração turística

A floresta de Sambisa, que já foi uma reserva famosa pelos safáris, hoje serve de refúgio para os terroristas

Por EFE Atualizado em 25 abr 2018, 20h50 - Publicado em 25 abr 2018, 19h52

O Exército da Nigéria quer transformar a floresta de Sambisa, esconderijo do grupo jihadista Boko Haram no nordeste do país, em atração turística, informou nesta quarta-feira a imprensa local.

O chefe do Estado Maior do Exército de Terra da Nigéria, o tenente-general Tukur Buratai, garantiu que suas forças trabalharão com o Serviço de Nacional de Parques e o governo do estado de Borno, onde está a floresta, para alcançar esse objetivo.

Buratai comunicou suas intenções nesta terça-feira em reunião no quartel-general do Exército, em Abuja, com o conservador-geral do Serviço Nacional de Parques, Ibrahim Goni, que destacou a importância de uma área natural que afeta “a economia da nação”.

  • A floresta de Sambisa, que faz parte do Parque Nacional Basin do Chade, serve de refúgio ao Boko Haram e acredita-se que nesse local o grupo terrorista reteve em 2014 mais de 200 meninas sequestradas na cidade de Chibok, das quais 112 ainda permanecem em cativeiro.

    Em 2015, o Exército nigeriano iniciou uma ofensiva na floresta contra os jihadistas, que tornou-se mais complexa depois que os terroristas instalaram minas terrestres e passaram a conhecer melhor o território.

    Há décadas, Sambisa chegou a ser uma reserva famosa pelos safáris, com uma grande população de leopardos, leões, hienas e elefantes, mas nos últimos anos perdeu fauna e flora pela falta de gestão e pela presença do Boko Haram.

    Boko Haram no estado de Borno, Nigéria
    Tanque abandonado na região de Bama, Nigéria – 31/08/2016 Afolabi Sotunde/File Photo/Reuters
    Continua após a publicidade
    Publicidade