Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Multidão liderada por Ali Khamenei vela Soleimani nas ruas de Teerã

Presença de centenas de milhares de iranianos denota apoio à represália planejada pelo governo do Irã

Por Da Redação - Atualizado em 7 jan 2020, 09h48 - Publicado em 6 jan 2020, 11h10

Centenas de milhares de pessoas se reuniram nesta segunda-feira, 6, no centro de Teerã para homenagear o comandante Qasem Soleimani, morto por bombardeio americano na última sexta-feira. O líder supremo do Irã, Ali Khamenei, somou-se à multidão que gritava “morte aos Estados Unidos” e “morte a Israel” e cuja impressionante imagem denota o apoio popular às represálias planejadas pelo governo iraniano.

Khamenei ficará encarregado de liderar uma oração em homenagem a Soleimani, que era o comandante da Força Quds, unidade especial da Guarda Revolucionária do Irã. Participam da cerimônia os chefes dos poderes executivo, judicial e legislativo, membros do governo, deputados, altos comandantes militares e representantes diplomáticos de países aliados.

Desde o início da manhã, os iranianos caminharam em direção à área da Universidade de Teerã e da praça Enghelab, onde começaram as homenagens.  Os participantes do funeral levam fotografias de Soleimani, bandeiras iranianas e faixas pretas de luto, bem como cartazes com palavras de ordem contra os Estados Unidos.

Os restos mortais de Soleimani e o vice-presidente da milícia xiita iraquiana  Forças de Mobilização Popular, Abu Mahdi al-Muhandis, que morreu no mesmo ataque dos Estados Unidos, chegaram ao Irã no domingo 5. O funeral continuará na terça-feira 7 na cidade natal de Soleimani, Kerman, no sul do país, onde será enterrado ao lado de dois heróis nacionais, com os quais combateu na guerra Irã-Iraque.

Publicidade

As autoridades aumentaram as medidas de segurança na capital iraniana, que tem sido sobrevoada por helicópteros desde a tarde de domingo. A polícia local abriu espaço para a movimentação da multidão. Procissões fúnebres também acontecem em Ahvaz, na divisa do Irã com o Iraque, e na cidade sagrada de Mashad, lar do mausoléu do oitavo Imã xiita, Reza.

(Com EFE)

Publicidade