Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Morre venezuelano ferido em confronto na fronteira com Brasil

Kliver Alfredo Perez Rivero, de 24 anos, estava internado em Boa Vista desde a última sexta-feira 22

Por Julia Braun Atualizado em 28 fev 2019, 10h43 - Publicado em 28 fev 2019, 10h01

O indígena Kliver Alfredo Perez Rivero, de 24 anos, ferido durante o confronto com militares na Venezuela na semana passada, morreu na noite desta quarta-feira, 27, segundo a Secretaria Estadual de Saúde de Roraima.

O venezuelano estava internado no Hospital Geral de Roraima (HGR), em Boa Vista, desde última sexta-feira 22. Ele teve lesão no tórax provocada por arma de fogo e no abdômen, com múltiplas lesões no fígado e no intestino.

A causa da morte foi falência de múltiplos órgãos, segundo nota divulgada pelo governo do estado.

Kliver Perez estava internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do HGR, e foi o primeiro ferido nos conflitos na Venezuela a morrer após receber atendimento em Roraima.

O venezuelano estava entre os cinco indígenas feridos transportados ao Brasil na sexta-feira depois que soldados venezuelanos abriram fogo contra manifestantes de sua tribo em Kumarakapai, na região da fronteira com Roraima.

Continua após a publicidade

Os moradores da comunidade indígena tentavam manter aberta uma passagem da divisa com o Brasil quando foram atacados pelas forças leais a Nicolás Maduro. Uma mulher morreu no local e ao menos 12 ficaram feridas. 

Ao todo, estima-se que ao menos quatro pessoas tenham morrido e outras 300 tenham ficado feridas nos confrontos durante o último final de semana nas regiões fronteiriças da Venezuela com o Brasil e com a Colômbia.

Desde a última quinta-feira 21, ao menos 22 venezuelanos deram entrada em hospitais brasileiros após ficarem feridos em conflitos na fronteira. Só no domingo, a clínica de Pacairama atendeu nove pessoas feridas por arma de fogo.

O governador Antônio Denarium decretou estado de calamidade na saúde pública do estado após o agravamento da situação. 

A fronteira entre Brasil e Venezuela está fechada há sete dias. Denarium, contudo, disse que a divisa deve ser reaberta ainda nesta quinta. 

O governador afirmou ter se reunido com uma comitiva formada por ministros venezuelanos e um forte apoiador de Nicolás Maduro, o governador de Bolivar, Justo Noguera, em Santa Elena do Uairén. Denarium, porém, não soube nominar os ministros, tampouco especificar se eram chavistas ou opositores.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)