Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Meta diz que vai restabelecer contas de Trump no Facebook e Instagram

Ex-presidente dos Estados Unidos teve suas contas bloqueadas depois da invasão do Capitólio, em 2021

Por Da Redação
Atualizado em 25 jan 2023, 23h00 - Publicado em 25 jan 2023, 20h31

Dois anos depois que as contas do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, terem sido suspensas no Facebook e no Instagram, a Meta, dona das duas plataformas, informou nesta quarta-feira, 25, que vai restabelecer o acesso do republicano às redes sociais.

O antigo chefe do Executivo dos EUA, que tinha a conta mais seguida no Facebook, teve suas contas suspensas no dia 7 de janeiro de 2021, um dia depois de centenas de pessoas invadirem o Capitólio em seu nome. A empresa comunicou que baniu Trump dos serviços de mídia porque suas postagens corriam o risco de incitar mais violência. 

De acordo com a Meta, a decisão de reverter as proibições foi feita porque o risco à segurança pública foi “reduzido o suficiente”. A empresa também afirmou que vai acrescentar proteções para “impedir reincidências” no futuro. 

+ Deputados dos EUA querem ajudar a investigar ‘Capitólio brasileiro’

“O público deve ser capaz de ouvir o que seus políticos estão dizendo – o bom, o mau e o feio – para que possam fazer escolhas informadas nas urnas”, comunicou o presidente de assuntos globais da Meta, Nick Clegg. “Mas isso não significa que não haja limites para o que as pessoas podem dizer em nossa plataforma. Quando há um risco claro de danos no mundo real – uma barreira deliberadamente alta para a Meta intervir no discurso público – nós agimos.”, finalizou.

Quando a Meta suspendeu as contas de Trump, o executivo-chefe da empresa, Mark Zuckerberg, afirmou que o uso do Facebook pelo então presidente para “tolerar, em vez de condenar, as ações de seus apoiadores no edifício do Capitólio perturbou com razão as pessoas nos Estados Unidos e em todo o mundo”.

Continua após a publicidade

+ Trump confunde escritora que o acusa de estupro com ex-mulher

Diversas postagens de Trump sobre a invasão foram removidas e inicialmente suas contas foram congeladas por um período de 24 horas. Desde então a empresa tem lutado para explicar a remoção do republicano, já que suas políticas têm padrões separados para figuras públicas que violam as regras da plataforma. 

Em junho de 2021, a Meta informou que iria suspender a conta de Trump por pelo menos dois anos, mas que ainda iria pedir a opinião de seu Conselho de Supervisão, um órgão externo formado por especialistas internacionais, sobre a decisão.

Em outubro do mesmo ano, o conselho argumentou que a decisão de Zuckerberg era correta, no entanto, a suspensão indefinida de Trump “não era apropriada”, porque não era uma punição claramente definida nas regras de uso do Facebook. Além disso, em sua decisão, o conselho pediu a Meta que criasse diretrizes mais claras e transferiu a decisão de como lidar com as contas de Trump para executivos da Meta. 

+ Trump é condenado a pagar US$ 1 milhão para Hillary Clinton

Atualmente, a  empresa tem sido centro de debate sobre liberdade de expressão online e quem deve ter o poder de decidir o que pode ser postado e o que precisa ser removido. A suspensão de Trump nas redes sociais mostrou como elas influenciam o discurso público online.

Outras plataformas digitais, como o Youtube e o Twitter, também removeram a conta do ex-presidente na semana do ataque. No entanto, em novembro de 2022, Elon Musk, o CEO do Twitter, restabeleceu a conta de Trump no aplicativo, depois dos usuários votarem a favor em uma enquete sobre a volta do republicano à plataforma.

Apesar de ter tido sua conta reativada no Twitter, Trump ainda não fez nenhuma postagem. Já o Youtube ainda não informou se vai permitir o retorno do ex-presidente à plataforma. 

Apesar da permissão, ainda não está claro se o postulante para a Casa Branca em 2024 vai voltar a utilizar o Facebook e o Instagram. 

Segundo um documento enviado pela Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos, Trump abriu mão de sua própria rede social, a Truth Social, única plataforma digital em que o republicano tem conta ativa. 

Continua após a publicidade

Trump participa financeiramente em sua rede social e é obrigado a disponibilizar com exclusividade suas postagens seis horas antes de compartilhá-las em outro site. Porém, os post que se referem a mensagens políticas, arrecadação de fundos e iniciativas de votações podem ser compartilhados imediatamente em qualquer outro site. 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.