Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Marielle Franco vai dar nome a jardim no centro de Paris

A homenagem em um espaço público da capital francesa foi aprovada no início deste mês, com apoio da prefeita Anne Hidalgo

Por Da Redação
22 abr 2019, 13h52

A prefeitura de Paris anunciou a localização do projeto de um jardim suspenso na capital francesa em homenagem à vereadora brasileira Marielle Franco, assassinada em 14 de março de 2018.

O lugar escolhido pela Comissão de Denominação de Ruas de Paris é uma praça ao lado da Gare de l’Est, uma das principais estações de trem da cidade, informou no domingo 21 a agência RFI.

Anne Hidalgo, a prefeita da capital francesa, manifestou em fevereiro deste ano o seu apoio à intenção de dar o nome de Marielle a algum local de Paris, durante conversas com a ONG RED.Br – Rede Europeia pela Democracia no Brasil, a idealizadora do projeto inicial. O esboço da proposta foi aprovado no dia 1º de abril, pelo Conselho de Paris.

Agora, o lugar escolhido na Comissão deve ser oficializado pelo conselho do 10° distrito de Paris, o bairro onde fica o futuro jardim, e depois pelo Conselho de Paris, que deve anunciar a decisão final no dia 11 de junho. Se aprovada, a inauguração do Jardim Marielle Franco deve ocorrer no próximo mês de outubro.

Continua após a publicidade

Em comunicado, o RED.br mostrou satisfação com a localização eleita. “É um belíssimo lugar, vivo, florido, aberto para os telhados de Paris. É onde a memória de Marielle nos convidará a reconstruir e construir sobre as ruínas, a cultivar a luta e a esperança”, escreveram as porta-vozes da organização.

Elas ainda postaram um vídeo do local que deve abrigar o jardim, citando Marielle ao afirmar que “as flores nascem no asfalto”. “Nas ruínas das cinzas, Marielle é semente”, mencionou a RED.br

A iniciativa do jardim faz parte de uma série de homenagens que a prefeitura de Paris vem fazendo à vereadora carioca desde a sua morte, em 14 de março de 2018. Naquele dia, Marielle Franco, vereadora do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), e o motorista do carro em que ela estava, Anderson Gomes, foram executados à tiros no bairro da Lapa, centro do Rio de Janeiro.

Continua após a publicidade

No mesmo mês, Anne Hidalgo comandou a instalação de um grande retrato de Marielle na fachada do prédio da Prefeitura de Paris. A prefeita também postou ativamente em sua conta no Twitter a respeito da morte da política brasileira, cobrando avanços na investigação do crime.

 

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.