Clique e assine a partir de 9,90/mês

Justiça turca nega libertação de pastor americano e acentua crise

EUA ameaçam Turquia com novas sanções se Andrew Brunson não for libertado; decisão de hoje acentua desvalorização da moeda turca

Por Denise Chrispim Marin - Atualizado em 23 ago 2018, 14h55 - Publicado em 17 ago 2018, 11h24

A Justiça da Turquia rejeitou hoje (18) recurso da defesa do pastor americano Andrew Brunson para libertá-lo, relatou a emissora de televisão Haberturk. A decisão contribui para a escalada de tensões entre os Estados Unidos e a Turquia e, consequentemente, para a turbulência no mercado turco e a contaminação das demais economias emergentes, como o Brasil.

A cotação da moeda turca, a lira, caiu de 6,04 para 6,21 depois do anúncio desta notícia. Ao longo do ano, a lira desvalorizou aproximadamente 40 por cento por conta da fragilidade econômica do país e sua transição de um regime parlamentarista para presidencialista.

Nos últimos dias, a duplicação da tarifa de importação de aço e alumínio da Turquia pelos Estados Unidos acentuou a corrida ao dólar e demais moedas estrangeiras. Washington ameaça Ancara com mais sanções unilaterais caso não libere Brunson.

O pastor evangélico está sujeito a prisão domiciliar na província turca de Esmirna. Ele é julgado na Turquia por acusações de terrorismo, espionagem e participação na tentativa de golpe de Estado contra o presidente Recep Erdogan, em 2016.

Continua após a publicidade

(Com Reuters)

 

Publicidade