Clique e assine a partir de 9,90/mês

Itamaraty fecha cinco embaixadas brasileiras no Caribe

Chanceler Ernesto Araújo também avalia encerrar representações em Serra Leoa e na Libéria

Por Julia Braun - Atualizado em 4 Jun 2019, 15h12 - Publicado em 4 Jun 2019, 10h49

O Ministério das Relações Exteriores confirmou o fechamento das embaixadas brasileiras nas ilhas caribenhas de Dominica, Antígua e Barbuda, Granada, São Cristóvão e Nevis e São Vicente e Granadinas. As representações diplomáticas foram abertas durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O Itamaraty informou que as embaixadas em Roseau e Saint John’s, capitais de Dominica e Antígua e Barbuda, já foram fechadas. As demais sedes “estão em processo de fechamento”, segundo nota enviada à reportagem.

O chanceler Ernesto Araújo também avalia o encerramento das representações em Serra Leoa e na Libéria.

As embaixadas nos países africanos e caribenhos contam com poucos funcionários. Já não vinham sendo indicados novos oficiais para os postos, mas aqueles que ainda estão atuando continuam até o final de suas missões.

Continua após a publicidade

Na mesma situação, está o posto na Líbia. O Itamaraty, contudo, negou que tenha intenções de fechar a representação em Trípoli.

Entre 2003 e 2010, durante o governo Lula, foram abertas 67 representações no exterior, principalmente em pequenos países caribenhos ou africanos.

As embaixadas em Antígua e Barbuda, Dominica, São Cristóvão e Névis, e São Vicente e Granadinas foram criadas em 2009, enquanto a de Granada foi oficializada em 2008. O posto em Serra Leoa foi aberto durante o governo de Dilma Rousseff, em 2012.

Publicidade