Irmão de ditador da Coreia do Norte é morto na Malásia

Ele estava escondido na Malásia desde a execução do seu tio Jang Song-thaek, em 2014, a mando de seu meio-irmão Kim Jong-un

Por Da redação - Atualizado em 14 fev 2017, 11h55 - Publicado em 14 fev 2017, 10h29

Kim Jong-nam, meio-irmão do ditador norte-coreano, Kim Jong-un, foi morto na Malásia, informa a agência Yonhap e outros meios de comunicação sul-coreanos nesta terça-feira. Kim Jong-nam foi assassinado na segunda-feira, reporta a imprensa do citando fontes do governo sul-coreano.

De acordo com a emissora sul-coreana Chosun, ele teria sido envenenado por duas mulheres, que seriam operárias norte-coreanas, no aeroporto de Kuala Lumpur. A polícia da Malásia confirmou apenas que um homem foi encontrado morto no aeroporto. No entanto,a identidade da vítima não foi revelada.

O filho mais velho do ditador Kim Jong-il era frequentemente apontado como o sucessor de Kim Jong-un. Fruto do casamento entre o ditador e sua primeira esposa, a atriz Song Hye-rim, Kim Jong-nam emigrou à China em 1995 e vivia desde então entre Pequim e Macau amparado pelo governo chinês e focado em investimentos.

Mas ele estava escondido na Malásia desde a execução do seu tio Jang Song-thaek, em 2014, a mando de seu meio-irmão Kim Jong-un. Kim Jong-nam perdeu definitivamente a preferência do pai quando em 2001 foi detido em um aeroporto de Tóquio com um passaporte dominicano falso que pretendia usar para entrar no Japão e visitar o parque Disneyland.

Publicidade

(Com ANSA e EFE)

Publicidade