Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Índia mata líder de grupo separatista na Caxemira

Mufti Waqas é apontado como comandante do grupo separatista Jaish-e-Mohammed; militante foi identificado após ser baleado

Por EFE Atualizado em 5 mar 2018, 22h33 - Publicado em 5 mar 2018, 22h32

O comandante do grupo separatista Jaish-e-Mohammed (JeM) na porção da região da Caxemira controlada pela Índia, Mufti Waqas, morreu nesta segunda-feira em uma operação das forças de segurança indianas nesta área que se encontra em conflito há 70 anos por conta de disputas entre a Índia, o Paquistão e, pontualmente, a China, informaram fontes oficiais.

O insurgente foi o mentor de um ataque em 1º de janeiro, que causou a morte de cinco policiais e dois terroristas em um acampamento policial, além de outro que deixou nove mortos no início de fevereiro em um acampamento militar, escreveu no Twitter o diretor-geral da polícia do estado indiano de Jammu e Caxemira, Shesh Paul Vaid.

A polícia do distrito de Awantipora, o destacamento militar Rashtriya Rifles (RR) e a Força Central de Polícia de Reserva (CRPF, na sigla em inglês) isolaram a região de Hatiwara depois que receberam informações sobre a presença de um insurgente na área, assinalou o centro de comunicação da polícia do estado de Jammu e Caxemira em comunicado.

“Durante a operação de busca, o grupo recebeu disparos por parte de um militante escondido e respondeu ao fogo, neutralizando um militante, que foi posteriormente identificado como (…) o comandante operacional e chefe da organização ilegal JeM”, detalharam as forças indianas na nota.

Continua após a publicidade

Os soldados também apreenderam uma arma e outros materiais “incriminatórios” e iniciaram uma investigação a respeito.

O fato aconteceu depois que dois insurgentes e quatro civis morreram no domingo à noite durante um tiroteio em um posto de controle móvel do exército na Caxemira indiana, o que levou hoje os líderes independentistas a convocarem um protesto na região pelo “massacre”.

Separatismo

Situada aos pés do Himalaia, a Caxemira é a única região indiana com maioria muçulmana e o Paquistão reivindica a sua completa soberania desde a partilha do subcontinente em 1947 e a independência do Império Britânico.

A Índia acusa o Paquistão de apoiar terroristas que operam em território indiano em uma tentativa de dar fôlego ao movimento separatista.

As duas nações travaram várias guerras e conflitos menores por esse território, separado por uma fronteira provisória que divide a região em duas partes e é uma das áreas mais militarizadas do mundo.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)