Clique e assine a partir de 9,90/mês

Incêndios na Ucrânia se aproximam da usina de Chernobyl

O fogo está a 2 quilômetros de onde os dejetos nucleares mais perigosos estão armazenados; especialistas temem aumento na radiação devido à combustão

Por Da Redação - Atualizado em 13 Apr 2020, 19h43 - Publicado em 13 Apr 2020, 19h40

Fora de controle há uma semana, incêndios florestais no norte da Ucrânia chegaram nesta segunda-feira, 13, à cidade abandonada de Pripyat, a poucos quilômetros da usina nuclear abandonada de Chernobyl.

Segundo a polícia ucraniana, o fogo está ativo desde sábado 4, depois que um fazendeiro incendiou a grama seca perto da zona de exclusão de Chernobyl – é proibido morar dentro do raio de 30 quilômetros do reator que explodiu em 1986, no maior acidente nuclar da história. A emissora britânica BBC reporta que as chamas se aproximaram da usina nuclear e estão agora a 2 quilômetros de onde ficam armazenados os resíduos mais perigosos da fábrica.

O governo ucraniano mobilizou aeronaves de combate a incêndio para jogar água no fogo. Mais de 300 bombeiros estão trabalhando no local, enquanto seis helicópteros e aviões estão tentando apagar as chamas.

No domingo 5, Yegor Firsov, chefe interino do serviço de inspeção ecológica da Ucrânia, disse em uma publicação no Facebook que os níveis de radiação na área subiram substancialmente acima do normal por causa do fogo. O governo rejeitou a informação e disse que a radiação estava “dentro dos limites normais”. Firsov também retirou o que disse.

Continua após a publicidade

Segundo o jornal americano The New York Times, no solo, a radioatividade tem meia-vida quase inofensiva. Mas as raízes das plantas são o problema: elas absorvem radiação, trazendo-a para a superfície e espalhando partículas contaminadas na fumaça quando queima.

Especialistas preocupam-se com o vento, que agora sopra em direção a Kiev, capital ucraniana com três milhões de habitantes, e pode carregar radiação. Além disso, fortes ventos podem espalhar os incêndios para os escombros da usina nuclear e o equipamento usado para limpar o desastre.

O isolamento social implementado no país para retardar a disseminação do coronavírus pode ser benéfico também neste sentido. Só é permitido sair de casa para ir ao mercado, caminhar ou passear com cachorros em um raio de 2 quilômetros de distância da residência. Além disso, é proibido sair de casa sem usar máscaras cirúrgicas. As medidas também podem reduzir a eventual contaminação por partículas radioativas.

Por enquanto, o nível de radiação no ar é considerado seguro – um centésimo do nível de emergência, segundo o Times. O governo está mais preocupado com a conservação de Pripyat, pois visitas turísticas na região são uma importante fonte de renda. Em 2018, mais de 70.000 pessoas visitaram a cidade. No ano passado, devido ao sucesso da minissérie da HBO Chernobyl sobre o desastre, visitas aumentaram 30%.

ASSINE VEJA

O vírus da razão O coronavírus fura a bolha de poder inflada à base de radicalismo. Leia também: os relatos de médicos contaminados e a polêmica da cloroquina
Clique e Assine
Publicidade