Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Homem é morto a tiros perto de protesto em Portland

Grupos pró-Trump e manifestantes contra o racismo entraram em confronto na cidade

Por Da Redação 30 ago 2020, 09h49

Um homem foi morto a tiros na cidade de Portland, no estado americano de Oregon, na noite de sábado 29. A vítima foi encontrada perto do local onde era realizado um protesto contra o racismo e a violência policial. A cidade também é palco de atos de apoiadores do presidente americano Donald Trump e os dois grupos entraram em confronto algumas vezes durante o sábado.

As autoridades locais não divulgaram a identidade da vítima nem informações sobre suspeitos. A polícia também não detalhou se o assassinato está diretamente ligado aos conflitos durante as manifestações.

Segundo o jornal The New York Times, o homem baleado usava um boné com o emblema do Patriot Prayer, um grupo de extrema direita de Portland que tem entrado em confronto com manifestantes antirracistas na cidade.

A polícia local afirmou que foi chamada para a ocorrência pouco antes das 21h e encontrou a vítima com um tiro no peito. Os agentes constaram a morte ainda no local. “Essa violência é completamente inaceitável e estamos trabalhando diligentemente para encontrar e prender o indivíduo ou indivíduos responsáveis”, afirmou o chefe de polícia Chuck Lovell.

Portland tem sido cenário de grandes manifestações do movimento Black Lives Matter desde a morte de George Floyd em Minneapolis, em maio. A cidade é frequentemente citada por Trump como um exemplo de descontrole das autoridades na contenção dos protestos. Mais recentemente, grupos de direita e apoiadores do presidente passaram a realizar atos em oposição ao Black Lives Matter.

No sábado, uma carreata do grupo pró-Trump percorreu os subúrbios de Portland, carregando bandeiras dos Estados Unidos e da campanha do republicano. Alguns carros, porém, se dirigiram ao centro, onde era realizado o protesto contra o racismo e houve confronto entre os dois grupos.

ASSINE VEJA

A esperança dos novatos na bolsa Leia nesta edição: a multidão de calouros no mercado de ações, a ‘lista negra’ de Bolsonaro e as fraudes na pandemia
Clique e Assine
Continua após a publicidade
Publicidade