Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Forças russas atacam torre de TV em Kiev, diz governo ucraniano

Ofensiva avança contra os locais de serviços de segurança da capital

Por Da Redação Atualizado em 1 mar 2022, 14h02 - Publicado em 1 mar 2022, 06h51

Após o ataque ao centro de Kharkiv, que atingiu o prédio do governo da segunda maior cidade da Ucrânia, a Rússia informou, segundo as agências de notícias locais Tass e RIA, que vai avançar contra os locais de serviços de segurança da capital Kiev, nesta terça-feira, 1º.

Segundo o governo russo, a ofensiva serviria para evitar “ataques de informação” contra o país de Vladimir Putin. As agências de notícias informam ainda que o Kremlin pediu para que as pessoas perto desses locais de Kiev se afastem.

De acordo com o governo ucraniano, forças russas atacaram torre de TV em Kiev e cinco pessoas morreram. O assessor do Ministério do Interior do país, Anton Herashchenko, confirmou a informação em suas redes sociais.

Em meio ao avanço militar russo à capital, a embaixada da Ucrânia no Vaticano pediu ao governo da Rússia que não destrua a Catedral de Santa Sofia, em Kiev, o que poderá acontecer nas próximas horas, de acordo com informações recolhidas pelos serviços de inteligência ucranianos.

“Segundo dados dos serviços de inteligência, os russos estão preparando um ataque aéreo contra a Catedral de Santa Sofia, em Kiev, Patrimônio Mundial da Unesco”, escreveu a embaixada em sua conta no Twitter, afirmando que o templo, do século XI, é “a pérola da Ucrânia”.

Ainda segundo a Tass, representantes de Rússia e Ucrânia vão se encontrar nesta quarta-feira, 2, para uma segunda rodada de negociações com o objetivo de tentar interromper os conflitos. A primeira conversa ocorreu na segunda 28 e não houve avanços. A Tass citou uma fonte da Rússia.

MÍSSIL EM KHARKIV

O centro de Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia, foi atingido por mísseis nesta terça-feira, 1º, sexto dia da invasão da Rússia ao país. Um dos alvos foi o prédio do governo, localizado na principal praça no centro da região. O anúncio foi feito pelo governador da região Oleg Synegubov e confirmado pelo comando de operações ucraniano. Forças russas

Continua após a publicidade

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky chamou a ofensiva de ‘terrorismo de Estado’ e pediu reconhecimento da comunidade internacional a isso. “O objetivo do terror é nos quebrar, é quebrar a nossa resistência”, disse em vídeo. Para ele, Kiev e Kharkiv são os principais alvos da Rússia no momento.

Segundo a agência Interfax, os ataques também teriam atingido parte de uma área residencial da cidade. Autoridades ucranianas dizem que ao menos dez pessoas morreram e vinte ficaram feridas após o bombardeio.

“Esta manhã, a praça central de nossa cidade e a sede do governo local de Kharkiv foram atacadas de forma criminosa”, afirmou Synegubov. “Esses ataques são genocídio do povo ucraniano, um crime de guerra contra a população civil”, acrescentou.

Míssil atinge prédio do governo de Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia - 01/03/2022 -
Momento da explosão no prédio do governo de Kharkiv – 01/03/2022 – twitter/DmytroKuleba/Reprodução
Carro destruído após ataque da Rússia ao centro de Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia - 01/03/2022 -
Carro destruído após ataque da Rússia ao centro de Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia – 01/03/2022 – SERGEY BOBOK/AFP

De acordo com o jornal inglês The Guardian, a intenção do ataque era matar o governador e sua equipe. Moradores relataram ainda disparos na noite de segunda-feira e na manhã desta terça.

No Twitter, o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, publicou imagens da explosão do prédio e dos destroços. O chanceler afirmou que o mundo “pode e deve fazer mais” e pediu o “isolamento completo” do país.

Kharkiv conta com cerca de 1,4 milhão de habitantes e fica próxima da fronteira com a Rússia.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)