Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA anunciam saída do Conselho de Direitos Humanos da ONU

Americanos acusam órgão de ser parcial contra Israel e aceitar membros que descumprem direitos de seus cidadãos

A administração do presidente Donald Trump vai retirar os Estados Unidos do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, anunciou nesta quarta-feira (19) a embaixadora do país na ONU, Nikki Haley. A decisão foi tomada após muitas reclamações sobre a hipocrisia do órgão e críticas por sua posição contrária à Israel.

Ao lado do secretário de Estado Mike Pompeo, Haley defendeu a medida, dizendo que os pedidos de reforma feitos pelos Estados Unidos ao órgão não foram atendidos.

Os americanos há muito acusam o Conselho de ser tendencioso contra Israel. Também criticam o órgão por aceitar como membros países que frequentemente são acusados de abusos dos diretos humanos, como China e Arábia Saudita.

“Abusadores de direitos humanos continuam a servir e a ser eleitos para o Conselho”, disse Haley. “Os regimes mais desumanos do mundo continuam a escapar de suas críticas e o Conselho continua politizando as reclamações de países com registros positivos de direitos humanos na tentativa de desviar a atenção dos agressores. ”

“Damos este passo porque nosso comprometimento não nos permite continuar fazendo parte de uma organização hipócrita, autocentrada, que faz gozação dos direitos humanos”, afirmou.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, lamentou a decisão dizendo que “teria preferido muito” que os Estados Unidos permanecessem no Conselho. “A arquitetura de direitos humanos da ONU tem um papel muito importante na promoção e proteção dos direitos humanos em todo o mundo”.

Ainda não está claro se os Estados Unidos deixarão o órgão e não cooperarão mais com suas ações de nenhuma forma ou se continuarão a atuar pelo menos como observadores e auxiliando nas investigações.

O anuncio acontece dois dias após o alto-comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra’ad Al Hussein, criticar as novas políticas imigratórias americanas que estão separando pais e filhos na fronteira com o México.

Histórico de desentendimentos

A diplomacia americana já não escondia suas diferenças com o Conselho, ao qual Washington acusava de ter se mobilizado por sentimentos contrários a Israel e pela presença de países que o governo considera que não devem ter um assento.

O Conselho de Direitos Humanos da ONU foi criado em 2006 para substituir a Comissão de Direitos Humanos e é formado por 47 países-membros escolhidos por maioria absoluta na Assembleia-geral da ONU.

Em junho de 2017, Haley já tinha exigido uma reforma do Conselho, e este ano Washington impulsionou um projeto de resolução que contemplava mudanças profundas neste grupo.

Entre as propostas americanas destacam-se um dispositivo para que países acusados de cometer violações dos direitos humanos possam ser excluídos do Conselho por maioria simples na Assembleia e não por voto de dois terços.

Exigia também que a questão dos “direitos humanos na Palestina” não fosse incluída na agenda de forma sistemática.

Isolamento

O governo de Donald Trump é acusado por outras grandes potências, como a França, de estar se isolando cada vez mais do resto do mundo.

Neste ano, os Estados Unidos já anunciaram sua decisão de sair do acordo nuclear com o Irã, impuseram novas taxas sobre as importações de aço e alumínio da União Europeia e outras nações e reconheceram Jerusalém como a capital de Israel, contrariando o consenso internacional.

A saída do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas deve provocar ainda mais críticas em relação ao isolamento americano. Pode também despertar outras nações a entrarem com um pedido de investigação em relação ao tratamento de crianças imigrantes na fronteira americana com o México, após uma série de acusações de abusos.

(Com AFP)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. YOUSSEF NASER ISSA

    Faz muito bem, direitos dos bandidos.

    Curtir

  2. gilson schnaider

    Muito certo so querem dinheiro pra fazer campanha contra os usa, porque os direitos humanos nao atacam os paises arabes e africanos cente americano que violam mulheres crianças todos os dias aos milhares.

    Curtir

  3. gilson schnaider

    Centro americano.venezuela e um caos ai brasileiros de bosta protestando com os estados unidos vao resolver primeiro os problemas de casa depois apitar sobre os outros.

    Curtir