Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA enviam emissária ao Brasil para discutir Venezuela

Governos americanos atuam afinados na crise do país vizinho; posto de embaixador em Brasília está vago desde novembro

Os Estados Unidos enviam ao Brasil neste domingo 24 a secretária-adjunta de Estado para Assuntos do Hemisfério Ocidental, Kimberly Breier, para tratar da crise da Venezuela e de temas da cooperação bilateral. Breier chega ao Rio de Janeiro em um momento crítico no país vizinho, quando os Estados Unidos, Brasil, Colômbia e outros países forçam o ingresso de ajuda humanitária à Venezuela, atendendo ao chamado e reiterando o apoio ao presidente interenino venezuelano, Juan Guaidó.

Ambos os países se mostram mais afinados no âmbito da Política Externa desde a posse de Jair Bolsonaro na Presidência do Brasil. Como membro do Grupo de Lima, o Brasil tem defendido a renúncia do venezuelano Nicolás Maduro e apoiado o autoproclamado presidente interino do país, o oposicionista Juan Guaidó. Washington tem trabalhado em cooperação com o grupo. Com o Brasil, os Estados Unidos enviam parte de sua ajuda humanitária aos venezuelanos, em atendimento ao chamado de Guaidó.

O governo americano, porém, demora em enviar um novo embaixador para Brasília. O posto está vago desde novembro passado.

Por meio de comunicado, o Departamento de Estado informou neste sábado, 23, que Breier terá encontros em Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo. Ela se reunirá com os ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e da Justiça, Sergio Moro, com o secretário para Assuntos Internacionais e Comércio, Marcos Troyjo, com o assessor de Assuntos Internacionais da Presidência, Filipe Martins, e com o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro.

A secretária também se reunirá com líderes empresariais, estudantes e membros da sociedade civil, além de representantes locais da Agência das Nações Unidas Para os Refugiados (Acnur) e embaixadores dos países do Grupo Lima. Um encontro com imigrantes venezuelanos no Brasil também está em sua agenda.

No giro pela América do Sul, Kimberly viajará ao Paraguai no dia primeiro de março. Ela se encontrará com o presidente daquele país, Mario Abdo Benitez, e com outras autoridades locais. O Paraguai igualmente faz parte do Grupo de Lima, e seu presidente esteve ao lado de Guaidó na sexta-feira 22, na Colômbia. Sua missão será discutir questões bilaterais e regionais, incluindo cooperação em segurança, apoio à Venezuela, prosperidade econômica e nosso compromisso comum com a democracia. Ela também se envolverá com líderes da sociedade civil, incluindo ativistas anticorrupção.

(Com Reuters)