Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

EUA acusam agentes russos de vazamento de dados do Yahoo!

Dois agentes do FSB e dois hackers foram responsáveis pela invasão ao servidor de e-mail em 2014

Por Da redação 15 mar 2017, 15h20

O Departamento de Justiça americano acusou dois agentes do serviço de inteligência russo FSB e dois hackers, nesta quarta-feira, de estarem por trás de um ciberataque contra o provedor de e-mails Yahoo!, que afetou 500 milhões de usuários em 2014.

De acordo com as autoridades, os espiões russos “protegeram, dirigiram e pagaram hackers criminosos” para realizar a invasão do servidor, que tinha por objetivo final chegar a jornalistas e membros dos governos dos Estados Unidos e outros países, incluindo e a própria Rússia. O ciberataque ao Yahoo! é considerado um dos mais ambiciosos realizados e, desde o ano passado, autoridades especulavam que por trás da invasão havia funcionários de uma “nação-estado”.

Os dois agentes foram identificados como Dmitry Dokuchaev, de 33 anos, e Igor Sushchin, 43, que fazem parte do órgão de inteligência que substituiu a KGB. De acordo com o Departamento de Estado, Dokuchaev e Sushchin contrataram o russo Alexsey Belan e Karim Baratov, de cidadania canadense e cazaque, para conduzir a invasão, descoberta em setembro do ano passado. Os quatro enfrentam 47 acusações, incluindo conspiração, fraude, espionagem e roubo de identidade, informou o governo americano.

Os agora acusados “tinham como objetivo chegar às as contas no Yahoo! de funcionários dos governos dos Estados Unidos e da Rússia, incluindo pessoal da cibersegurança, diplomatas e militares”, afirmou a secretária adjunta da Justiça, Mary McCord, em comunicado. Também pretendiam atingir “jornalistas russos, funcionários de outras redes que eles queriam invadir e empregados de entidades comerciais e de serviços financeiros”, revelou.

McCord disse que Baratov, que vive no Canadá, foi detido na última terça-feira, depois de um pedido apresentado ao país vizinho. Segundo o jornal Washington Post, com informações de agências russas, Dokuchaev foi preso em Moscou no ano passado por traição, supostamente após ter passado informações para a CIA. Já Belan já foi indiciado pelos Estados Unidos por outras duas invasões invasões no passado e é um dos criminosos digitais mais procurados do país, mas está sendo “protegido” para autoridades russas, informou o Post. Não há informações, por ora, sobre o quarto acusado.

(Com AFP)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)