Clique e assine a partir de 9,90/mês

Embaixador dos EUA no Brasil assume com prioridade para epidemia

Posto ficou sem comando desde novembro de 2018; Todd Chapman se reunirá virtualmente com Ernesto Araújo nesta segunda-feira

Por Denise Chrispim Marin - 29 mar 2020, 21h53

Depois de dezesseis meses sem um titular, a Embaixada dos Estados Unidos em Brasília recebeu neste domingo seu novo comandante, o embaixador Todd C Chapman. Diplomata de carreira, Chapman foi indicado pelo presidente americano, Donald Trump, em 30 de outubro passado e foi confirmado pelo Senado do país apenas em fevereiro. Antes do Brasil, havia servido no Equador.

“É um grande privilégio retornar ao Brasil e servir como embaixador dos Estados Unidos da América no país e liderar o importante trabalho da embaixada e dos nossos consulados. Os Estados Unidos estão comprometidos em seguir uma agenda ampla com o Brasil, conforme delineado pelos presidentes Trump e Bolsonaro”, afirmou. “Meu foco imediato será ajudar o governo brasileiro, o povo brasileiro e os 260.000 americanos residentes no Brasil em sua resposta à emergência de saúde causada pela COVID-19. Há muito o que fazer e estou ansioso para começar a trabalhar”.

O embaixador Chapman se reunirá virtualmente na segunda-feira, 30 de março, com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. A cerimônia de entrega das credenciais ao presidente Jair Bolsonaro ainda não está agendada. Do lado brasileiro, o encarregado de negócios na embaixada em washington, Nestor Forster, ainda guarda a confirmação de seu nome pelo Senado para atuar oficialmente como embaixador. Forster está em quarentena, contaminado pelo coronavírus.

De acordo com a Embaixada dos Estados Unidos, Chapman morou no Brasil em 1974, quando seu pai foi transferido pela empresa em que trabalhava para São Paulo. Ele estudou na Escola Maria Imaculada até 1980. Ele viveu no país por onze anos.

Continua após a publicidade

 

Publicidade