Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cuba: ‘ataque sônico’ a diplomatas dos EUA causou dano cerebral

Dez americanos e cinco canadenses foram afetados por incidentes em Havana

Recentemente, funcionários das embaixadas dos Estados Unidos e do Canadá em Havana relataram que desde o final de 2016 estranhos incidentes provocaram sintomas como a perda de audição, náuseas, dores de cabeça e distúrbios de equilíbrio. Enquanto os governos investigam a natureza das ocorrências, um médico americano que avaliou os diplomatas dos dois países diagnosticou condições sérias como lesões cerebrais traumáticas leves e danos ao sistema nervoso central, informou nesta quarta-feira a CBS News.

O governo dos Estados Unidos não detalhou a natureza das agressões, nem confirma se se trata de um “ataque sônico”, como aponta a imprensa americana.  Segundo a rede CNN, mais de dez diplomatas americanos e seus familiares, além de cinco funcionários que trabalhavam na embaixada do Canadá, foram afetados por alguma forma de ataque direcionado contra suas casas em Cuba. “Em alguns dos ataques, uma sofisticada arma sônica que operava fora da categoria de sons audíveis foi ativada dentro e fora das residências”, indicou a CNN.

Outros ataques geravam um ruído alto e ensurdecedor, similar a um zumbido de um inseto ou a um metal arranhando o solo, mas as vítimas não conseguiam identificar a fonte do som. Diversos cidadãos americanos na embaixada foram retirados da ilha ao longo dos últimos seis meses para tratamento médico e alguns receberam subsequentemente aparelhos auditivos.

O Departamento de Estado americano confirmou no começo do mês que diversos cidadãos servindo em Cuba haviam voltado aos Estados Unidos por “razões médicas” sem risco de vida. Questionada sobre a reportagem da CBS, no entanto, a porta-voz do departamento, Heather Nauert, disse que o órgão não possuía “respostas definitivas” sobre a fonte ou causa dos episódios. “Uma investigação sobre os incidentes está acontecendo”, disse.

Os Estados Unidos não culparam oficialmente, por enquanto, Cuba de realizar os ataques, mas disseram que Havana é responsável por investigar o suposto ataque sônico e expulsaram dois diplomatas cubanos da embaixada do país em Washington, por considerar que o país caribenho não cumpriu com a responsabilidade de proteger os funcionários americanos na ilha.

O governo cubano disse que, após ter sido informado em fevereiro sobre os incidentes, iniciou uma “investigação cansativa, prioritária e urgente”. Cuba destacou que nunca iria permitir que seu território fosse usado para qualquer ação contra funcionários diplomáticos ou suas famílias. Uma porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Canadá disse que o Canadá também trabalha para determinar as causas.

(com Reuters e EFE)